Trump elogia França e Grã-Bretanha pelo ataque à Síria

Trump elogia França e Grã-Bretanha pelo ataque à Síria

Trump elogia França e Grã-Bretanha pelo ataque à Síria

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou que o país e seus aliados pretendem retomar já a partir deste sábado os esforços internacionais contra o que chamou de crimes do presidente da Síria, Bashar al-Assad.

Em Paris o presidente francês Emmanuel Macron emitiu uma declaração afirmando que "não se pode tolerar a normalização do uso de armas químicas", acrescentando que "os factos e responsabilidade do regime sírio não estão em dúvida".

O Presidente francês garantiu nesta entrevista ter convencido Donald Trump, que tinha manifestado a intenção de retirar as tropas norte-americanas no terreno, "de permanecer" na Síria, na sequência dos ataques dos Estados Unidos, França e Reino Unido na madrugada de sábado.

"Há 10 dias o presidente Trump dizia que os Estados Unidos considerava deixar a Síria (.), mas nós convencemo-lo de que era necessário permanecer a longo prazo", declarou Macron.

"Esta capacidade de desenvolver, de produzir armas químicas foi atingida", disse Parly ao lado do chanceler francês.

Virar a chave e esquecer o passado
Apesar do número relativamente alto, apenas dois desses arremates acertaram o destino - sendo defendidas por Navarro e Victor. Com o aumento nos erros de passe e falhas de Elias na marcação, o San Lorenzo não teve dificuldade para chegar com perigo.

Buscas em escritório de advogado são 'lamentáveis', diz Trump
O advogado é amigo e confidente de Trump há anos, sendo um de seus principais conselheiros em assuntos imobiliários. Já Donald Trump considerou que esta era uma "situação vergonhosa" e uma " caça às bruxas ".

65% dos gaúchos ainda não declararam o imposto de renda
O prazo de envio dos documentos termina às 23h59min do dia 30 de abril. É obrigatória a declaração para todo brasileiro que recebeu mais de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis no ano passado.

Para ele, os "fatos e a responsabilidade do regime sírio são indiscutíveis". "Logo eu ordenei às Forças Armadas francesas que interviessem nessa noite, no quadro de uma operação internacional conduzida em coalizão com os Estados Unidos e o Reino Unido e dirigido contra o arsenal químico clandestino do regime", explicou o chefe de Estado.

A missão recebeu um convite do Governo sírio, sob pressão da comunidade internacional, que nega a autoria do ataque.

Ainda conforme o comunicado de Macron, o uso de armas químicas na Síria "é um perigo imediato para o povo sírio e para nossa segurança coletiva".

Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.

Related news