Dilma deve lançar candidatura ao Senado por Minas Gerais

Dilma deve lançar candidatura ao Senado por Minas Gerais

Dilma deve lançar candidatura ao Senado por Minas Gerais

"Uma coisa vocês podem ter certeza: campanha eu farei sendo candidata ao Senado ou não".

Dilma, assim como diversas lideranças petistas, se reuniu com o ex-presidente no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), na noite da quinta (5).

Pimentel também não confirmou a candidatura de Dilma.

O PT definiu que a presidente cassada Dilma Rousseff será candidata ao Senado Federal por Minas Gerais.

Militantes, em sua maioria mulheres, homenagearam Dilma.

Pesquisa CNI/Ibope aponta que popularidade de Temer mantém-se estável
A melhora mais significativa da avaliação sobre as iniciativas em segurança pública foi registrada nas regiões Nordeste e Sul. O percentual dos que aprovam as ações do governo na segurança pública aumentou de 11% em dezembro de 2017 para 14% em março.

Rihanna curte vídeo de Pabllo Vittar no Instagram e drag queen comenta
Por motivos de saúde, recentemente, Pabllo passou por três cirurgias em seu nariz . Logo em seguida, ela surge toda produzida, surpreendendo com a mudança no visual.

Ao vivo - Atlético-PR x São Paulo - Copa do Brasil 2018
Porém, após a eliminação, o time tricolor poderá tomar novos rumos na Copa do Brasil e em breve no Campeonato Brasileiro . São Paulo: Sidão; Rodrigo Caio, Bruno Alves e Arboleda; Éder Militão, Jucilei, Liziero e Reinaldo; Cueva, Nenê e Tréllez.

Enquanto a militância ainda aguardava a chegada da petista, eram cantadas músicas da resistência.

O anúncio oficial da candidatura de Dilma será feito nesta sexta-feira, em Belo Horizonte, segundo o jornal Folha de São Paulo. "E eu eu vou fazer campanha porque eu acho que o Brasil precisa de uma transformação; acho que o Brasil precisa se reencontrar consigo mesmo", disse. "Se nós tivermos eleições diretas, eu participarei da campanha", completou.

O governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), deve acompanhá-la.

A troca do domicílio eleitoral e o caminho para o pleito de outubro foi decidido junto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em meio à turbulência causada pelo mandado de prisão contra o líder petista.

Apesar de não garantir participação nas eleições deste ano, a ex-presidente transferiu o título no último dia do prazo para quem pretende se candidatar em 2018. "Lógico que eu creio que é com o Lula. Além de esperar, eu vou lutar para que ele seja", afirmou.

Related news