China sobe impostos sobre vários produtos norte-americanos em disputa com Trump

China sobe impostos sobre vários produtos norte-americanos em disputa com Trump

China sobe impostos sobre vários produtos norte-americanos em disputa com Trump

Um dia depois, Pequim anunciou sua intenção de aplicar tarifas de 15% e 25% sobre uma lista de produtos dos Estados Unidos, caso um acordo com Washington não fosse alcançado.

A China vai impor taxas alfandegárias adicionais de 25% sobre 106 bens norte-americanos, incluindo automóveis, produtos químicos, soja, alguns tipos de aeronaves e produtos de milho, entre outros bens agrícolas. Pequim acusa os EUA de "violação grave dos princípios de não-discriminação, pedra angular do sistema multilateral de comércio" e assegura que a opinião pública chinesa pediu ao Governo que "tome medidas para salvaguardar os interesses da indústria e do país".

Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters.

As reuniões entre a China e a Coreia do Norte parecem ter como objetivo melhorar a posição dos países para negociar, antes de reuniões previstas entre Kim e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e o dos Estados Unidos, Donald Trump. As tarifas de Trump são parcialmente uma resposta às reclamações de que Pequim rouba ou pressiona empresas estrangeiras a entregar a tecnologia.

EUA determina tarifa de 25% sobre 1,3 mil produtos da China
A medida é uma represália ao que Washington considera a transferência forçada de tecnologia americana às empresas chinesas. As taxas propostas só poderão entra em vigor depois do período de apreciação pública, que termina em 11 de maio.

Flamengo se reúne para decidir novo técnico, e Cuca aguarda contato
Novo homem forte do futebol rubro-negro, Carlos Noval corre contra o tempo para encontrar um treinador . A diretoria confirmou a intenção de anunciar o nome do novo técnico do Flamengo até o final de semana.

Papa pede fim dos conflitos
O "ministro da cultura do Papa" também citou as parábolas de Jesus, que, como na "televisão, transmitia uma mensagem através de uma história, de um símbolo".

As bolsas da Ásia fecharam majoritariamente em baixa nesta quarta-feira (4), na expectativa de que a China anunciaria novas medidas retaliatórias contra os EUA, em mais um capítulo das rixas comerciais entre as maiores economias do mundo.

Os produtos visados por estas taxas foram avaliados em 50 mil milhões de dólares, cerca de 40,6 mil milhões de euros. Só em carne de porco, o valor ascende a mais de mil milhões de dólares, o que torna a China no terceiro maior mercado para a carne de porco norte-americana.

No final de março, os Estados Unidos confirmaram a guerra comercial que há muito se anunciava e impôs taxas aduaneiras em mais de 1000 produtos importados da China, apontando ainda restrições ao investimento chinês em território norte-americano.

Related news