Cometemos erros, diz Mark Zuckerberg sobre vazamento de dados do Facebook

Cometemos erros, diz Mark Zuckerberg sobre vazamento de dados do Facebook

Cometemos erros, diz Mark Zuckerberg sobre vazamento de dados do Facebook

O Facebook chegou a contratar membros de uma empresa chamada Stroz Friedberg para realizar sua própria auditoria independente da Cambridge Analytica, mas a Stroz Friedberg desistiu do trabalho quando as autoridades do Reino Unido solicitaram que esperassem até o fim da investigação criminal da OIC. Katarina disse que a empresa precisava ainda explicar como protegeria melhor a privacidade de seus usuários no futuro, observando que as pessoas precisavam saber o que seria feito de seus dados antes de autorizarem seu uso.

A Cambridge, então, comprou estes dados da Global Science, o que é considerada uma violação dos termos de uso do Facebook.

Em novembro do ano passado, a Bloomberg mostrou que a empresa britânica estava em contato com a brasileira Ponte Estratégia. Os britânicos já investigavam irregularidades na campanha Leave.EU, articuladora do Brexit. "É a maior crise de confiança do Facebook até aqui", diz o pesquisador.

Segundo o cientista Christopher Wylie, que ajudou a construir o software de mineração de dados, a companhia usou informações pessoais no início de 2014 para construir 1 sistema de análise de usuários.

A rede social afirmou ter sido informada sobre o uso "acadêmico" dos dados dos usuários, e que o acesso às informações foram feitas de forma legal, mas que repassá-las havia sido quebra de regras de fato. Que o diga o Facebook que, em dois dias, perdeu, no mercado bolsista, qualquer coisa como 60 biliões de dólares. "Temos responsabilidade em proteger seus dados, e, se não conseguimos, não merecemos servir a você", escreveu. Espera-se que Grewal explique o histórico do caso, que envolve os perfis de usuários de até 50 milhões de pessoas sendo usadas pela Cambridge Analytica como parte de seus esforços de segmentação de anúncios durante a eleição de 2016. Segundo o dominical "The Observer", estava no comando da CA.

Fundador do WhatsApp: "Está na hora. Apaguem o Facebook"
Zuckerberg também foi convocado perante um comitê de seleção que está investigando notícias falsas no Parlamento britânico. O cofundador do WhatsApp , Brian Acton , criticou a rede social de Mark Zuckerberg na sua conta do Twitter .

Jogador é esfaqueado em Portugal e está em estado grave
O jogador do Farense Tavinho foi esfaqueado nesta madrugada junto a um bar em Vilamoura, Quarteira, no Algarve. Natural de Almancil, no concelho de Loulé, este é o segundo ano de Tavinho como atacante do clube de Faro.

Bragantino surpreende Corinthians e vence por 3 a 2 no Pacaembu
Hoje não funcionou, mas precisamos de uma vantagem de um gol para levar a decisão para os pênaltis e dois para obter a vaga. Antes, Fagner já tinha sido destaque ao ser xingado por um membro da comissão técnica do Bragantino que estava no banco.

Em razão disso, a Comissão de Informação britânica pediu nesta terça-feira uma ordem judicial para realizar uma operação de busca e apreensão na Cambridge Analytica.

Os últimos dias têm sido desastrosos para o Facebook, sem nenhuma previsão de melhora imediata.

A rede social proibiu que Cambridge Analytica e Aleksandr Kogan utilizem a plataforma. O fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, foi convidado a dar explicações no Parlamento britânico, no Parlamento europeu e no Congresso americano.

Nos Estados Unidos, a FTC (Federal Trade Commission), comissão que regulamenta o comércio, iniciou uma investigação e abriu dois processos em Nova York e Massachusetts.

O diabo é que o valor superestimado do Facebook, agora em viés de queda, não ultrapassava US$ 500 bilhões.

Related news