PIB, inflação e Selic vão aumentar em 2019, diz COPOM

PIB, inflação e Selic vão aumentar em 2019, diz COPOM

PIB, inflação e Selic vão aumentar em 2019, diz COPOM

Terminou às 11h42 a reunião de Análise de Mercado do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

Mas fez uma ponderação, como é de praxe.

"Essa visão para a próxima reunião pode se alterar e levar a uma flexibilização monetária moderada adicional, caso haja mudanças na evolução do cenário básico e do balanço de riscos".

Segundo o órgão, a medida reflete a queda da inflação e uma recuperação consistente da economia brasileira.

Para Pinheiro, a autoridade monetária deixou clara sua estratégia principal: interromper a trajetória de cortes nos juros e não rever esta decisão neste ano.

"Havia dúvida era se deixariam claro o encerramento do ciclo ou não".

Criadores de 'Game of thrones' farão nova série de filmes 'Star Wars'
Acho que vocês perceberão que o nível de talento no quesito da televisão será bem significante. Os novos filmes não terão nada a ver com Episódios I-IX ou a trilogia que Rian Johnson prepara.

Marquezine revela presente para Neymar e craque entrega: 'Estou casado'
O modelo, cheio de recortes e costas nuas, deixou o corpo escultural da atriz à mostra, sem perder a elegância. O DJ brasileiro Alok também se apresentou e colocou os convidados para dançar na pista de dança.

Schulz abandona a liderança do SPD para assumir a diplomacia alemã
Os assuntos mais polêmicos e difíceis da tratativa, como a questão de uma reforma na saúde e dos imigrantes, foram acertados. Todos os 91 negociadores devem se reunir às 14h (hora local) para dar o sinal verde ao acordo, disseram negociadores.

"Estamos no menor patamar histórico da taxa básica no País. O Copom ressalta que os próximos passos da política monetária continuarão dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos, de possíveis reavaliações da estimativa da extensão do ciclo e das projeções e expectativas de inflação", diz o texto.

O superintendente institucional da Associal Comercial do Estado de São Paulo, Marcel Solimeo, avaliou o corte como adequado, "considerando que a inflação segue baixa, o que abre espaço para a Selic cair mais". Depois de ter fechado em 2,95% no ano passado, o índice oficial de inflação ficará em 4,2% neste ano e no próximo, conforme as projeções mais recentes do BC. Ele considerou em sua decisão que o cenário externo é favorável, o PIB mundial está crescendo bem, e o apetite por risco é alto.

Pela 11ª vez seguida, o Banco Central (BC) baixou os juros básicos da economia. Temer afirmou que o governo criou as condições para este cenário econômico.

Após o corte anunciado hoje, a taxa de juros deve permanecer estável até ao início de 2019, de acordo com economistas do setor privado consultados semanalmente pelo emissor brasileiro. Tem que tomar ações incisivas para reduzir a taxa de juros ao tomador final.

Para Patrícia Pereira, gestora de Renda Fixa da Mongeral Aegon Investimentos, entretanto, o cenário do BC só mudará se a Câmara dos Deputados resolver votar a reforma da Previdência. Já o Bradesco informou que vai repassar o corte de 0,25 ponto percentual da taxa Selic em suas principais linhas de crédito de pessoa física e pessoa jurídica.

Related news