Moro descarta falsidade material em recibos de aluguel de Lula

Moro descarta falsidade material em recibos de aluguel de Lula

Moro descarta falsidade material em recibos de aluguel de Lula

Ao julgar a suposta falsificação improcedente, Moro alegou que o fato dos documentos não serem "materialmente falsos" não afasta a possibilidade de serem "ideologicamente falsos", ou seja, que os dados apresentados como o valor do aluguél e nome do proprietário podem não ser os verdadeiros.

O processo que envolve o ex-presidente da República [VIDEO] Luiz Inácio #Lula da Silva relativo aos recibos de aluguel, em se tratando do apartamento vizinho à residência do petista, na cidade de São Bernardo do Campo, Região Metropolitana de São Paulo, pode alcançar, de acordo com as investigações e análise minuciosa do juiz Sérgio Moro, novos desdobramentos.

Na decisão, Moro disse que os recibos não apresentam falsidade material, como assinatura falsa ou rasura. "Os artífices se utilizaram de sua boa-fé, da sua simplicidade, da confiança que nutria por José Carlos Bumlai e por ele estendida a Roberto Teixeira, e também do seu dinheiro, para promover a compra de um imóvel visando dar conforto ao ex-presidente Lula e sua família no imóvel", afirma o engenheiro.

Na argumentação, disse que "é inviável resolver essas questões no incidente sem aprofundar na valoração de provas e na apreciação do mérito da ação penal". Nessa etapa, o Ministério Público Federal e a defesa dos acusados apresentam as justificativas que possam levar à absolvição ou à condenação dos réus.

Para os procuradores, Lula não pagou aluguéis pelo uso do imóvel, que teria sido adquirido com dinheiro da empreiteira. "Glaucos da Costamarques", e defendeu que "a improcedência das alegações do Ministério Público também deve ser reconhecida em relação à própria ação penal".

"Nova" reforma da Previdência será caixinha de surpresas, definida no plenário
A mudança mais recente, divulgada por ele nesta terça-feira (6), prevê pensão integral para cônjuges de policiais mortos em ação. O ministro da Secretaria de Governo , Carlos Marun, tem dito que no momento a reforma tem o apoio de cerca de 270 deputados.

Tribunal publica acórdão do julgamento de Lula
A própria 8ª Turma, que condenou Lula no último dia 24, julgará os embargos, o que ainda não tem data para acontecer. A sentença pode enquadrar o ex-presidente da Lei da Ficha Limpa, o que o impediria de disputar a eleição.

Final Fantasy XV com cross-play entre PC e Xbox One
Porém, como estamos do lado de cá da equação, não há como não lamentar algo tão bacana não ser disponibilizado para todos. Infelizmente, se optarem por comprar o jogo pelo Steam , ao que tudo indica, não terão essa possibilidade.

Já no falso ideológico, segundo o juiz, o documento é materialmente verdadeiro. Sobre estes papéis, foi aberta a investigação de suspeita de falsidade.

Teixeira é réu na ação penal pelo suposto intermédio da compra de imóveis, que, segundo a acusação formal, foi feita em benefício de Lula. Lula é acusado de receber, como propina da Odebrecht, uma cobertura vizinha ao imóvel onde mora no município paulista.

Ao juiz Sérgio Moro, durante depoimentos da ação penal, Glaucos afirmou que recebeu Roberto Teixeira quando esteve internado no hospital Sírio-Libanês, entre novembro e dezembro de 2015 e que também foi visitado pelo contador João Muniz Leite, quando assinou diversos recibos de pagamentos referentes a 2015 de uma vez só.

Em depoimento à Justiça, Costamarques declarou que apesar do contrato de locação ser de 2011, ele só passou a receber os aluguéis no final de 2015, quando ocorreu a prisão cautelar de Bumlai, na Operação Lava Jato.

A defesa de Lula nega todas as acusações. Aprendi agora que o povo brasileiro, se não tiver aumento de salário, faça como o juiz Moro e peça auxílio-moradia.

Related news