União Africana condena comentário ofensivo de Trump

União Africana condena comentário ofensivo de Trump

União Africana condena comentário ofensivo de Trump

Ao rejeitar na quinta-feira um acordo de imigração bipartidário, Trump questionou a razão por que os Estados Unidos aceitariam mais imigrantes do Haiti e de "países de merda" ("shithole countries") em África em vez de países como a Noruega.

"O governo haitiano condena com a maior firmeza essas declarações desagradáveis e abjetas que, se provadas, serão inaceitáveis em todos os sentidos porque refletem uma visão simplista e racista completamente equivocada", assinalou Porto Príncipe no texto. "O linguajar usado por mim na reunião do Daca [programa que protege jovens imigrantes] foi forte, mas não foi esta", disse ele em rede social. Ele sugeriu, ao mesmo tempo, que os Estados Unidos deveriam receber imigrantes de lugares como Noruega. Em outra postagem, ele afirmou que "nunca disse nada ofensivo sobre o Haiti, a não ser que o Haiti é obviamente um país muito pobre e problemático" e que tem um ótimo relacionamento com os haitianos.

Com sua decisão, Trump abriu as portas para sejam deportados. Na véspera, Trump havia se reunido com a primeira-ministra norueguesa.

Em um canal oficial, o Escritório de Assuntos Africanos disse que os EUA "vão continuar a ter relações com a África de forma robusta, entusiástica e vigorosa, promovendo esta relação vital e ouvindo e construindo a confiança e as impressões que compartilhamos com nossos parceiros".

O senador democrata Dick Durbin, no entanto, esclareceu não só que Trump utilizou a expressão como a repetiu "várias vezes" durante a reunião com os parlamentares.

Merkel alcança acordo para formar governo na Alemanha
Entre outros aspetos, o acordo firmado prevê uma "estreita colaboração com França" para "fortalecer" e "reformar" a zona euro. Os termos do acordo vão ser ainda submetidos aos órgãos dirigentes dos respetivos partidos.

Cunhada de Meghan Markle detida por agressão
Meghan já não atualizava os perfis desde que seu namoro e noivado foi anunciado pelo Palácio de Kensingon. A decisão deste blackout não é surpreendente e era até de alguma maneira esperada.

Costa diz que ministra da Justiça deu uma "opinião pessoal"
O pior deste clima é que dificilmente teremos uma avaliação desapaixonada do trabalho de Joana Marques Vidal. O mandato, de seis anos, termina no próximo mês de outubro.

Os comentários do presidente dos EUA deixaram impactados os legisladores presentes ao encontro, segundo o jornal, que não esclarece se o presidente se referia também a Nicarágua e tampouco identifica os países africanos citados.

Já da União Africana, a reação foi de considerar-se "francamente alarmada" com as declarações de Donald Trump, enquanto o porta-voz das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Rupert Colville, afirmou que o depoimento era "chocante e vergonhoso".

O jornal Los Angeles Times confirmou o relatório do Post, e acrescentou que, antes de proferir o insulto, Trump exclamou: "Para que queremos haitianos aqui?"

À época, a Casa Branca negou relatos de que a Trump fez as declarações depreciativas. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral poderão ser denunciados, acarretando até mesmo na perda da conta.

Related news