Kodak anuncia criação de moeda virtual para fotógrafos

Kodak anuncia criação de moeda virtual para fotógrafos

Kodak anuncia criação de moeda virtual para fotógrafos

A Kodak foi a mais recente empresa a entrar no barco e anunciou a KodakCoin, uma criptomoeda para fotógrafos. Com isto quer dizer que os fotógrafos podem passar a utilizar o novo blockchain da Kodak para registar os seus trabalhos, desempenhando a "KODAKCoin" a função de papel de troca que funcionará para recebimentos e pagamentos. A ideia é que eles ganhem maior controle sobre a gestão de seus direitos autorais.

Recorde-se que a CryptoKitties, baseada em Ethereum, tem uma abordagem semelhante para poder vender artwork e ilustrações através da tecnologia de blockchain, algo que a Kodak estará a tentar fazer agora com as fotografias originais.

- É importante que fotógrafos saibam que o trabalho e a renda deles é cuidado com segurança e confiança, o que é exatamente o que fizemos com a KodakCoin - afirmou Jan Denecke, diretor executivo da Wenn Digital, empresa com a qual a Kodak fez parceria para lançar a moeda. "Blockchain e criptomoedas são palavras em alta".

Campo Grande fecha dezembro com 3º menor índice de inflação do país
Entretanto, o mês de dezembro resultou na maior variação da inflação no ano passado, registrando 0,44 percentuais. O resultado da Capital foi de 0,15%, tendo apresentado decréscimo em relação a novembro, que fechou com 0,50%.

Jair Bolsonaro e filhos multiplicam patrimônio na política
Já Carlos teria enviado uma nota, por meio de sua assessoria, afirmando que 'seu patrimônio é modesto e igual há vários anos'. Com exceção de uma recente sociedade de Flávio em uma loja de chocolates, todos se dedicam agora só à atividade política.

Posse da deputada Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho é suspensa
Cristiane, segundo O Globo , afirma que Vera Lúcia chefia o escritório político baseado no Rio de Janeiro e que ela a representou nas audiências do processo.

A oferta inicial está prevista para o dia 31 de janeiro e está aberta a investidores dos Estados Unidos, Canadá e outros países.

Chamada de KashMiner, ela será vendida por US$ 3,4 mil em contrato de dois anos. No modelo das moedas digitais, a dificuldade para a mineração de novas moedas aumenta na mesma medida da capacidade de processamento da rede - quanto mais gente minerando bitcoins, mais difícil a atividade se torna. A empresa ficou famosa por reinvenções, mas também por não se reinventar no tempo certo.

Segundo Philip Thomas, CEO da Long Blockchain, embora a empresa pretenda continuar a produção de chás gelados, ela está "mudando seu foco corporativo primário para a exploração e investimento em oportunidades que se aproveitem dos benefícios da tecnologia blockchain".

Related news