Pizzolato deixa presídio da Papuda para cumprir pena em liberdade condicional

Pizzolato deixa presídio da Papuda para cumprir pena em liberdade condicional

Pizzolato deixa presídio da Papuda para cumprir pena em liberdade condicional

Em decisão divulgada ontem (27), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso entendeu que Pizzolato cumpriu todos os requisitos objetivos e subjetivos do Artigo 83 do Código Penal para a concessão do benefício, como o cumprimento de mais de um terço da pena, bom comportamento e capacidade de prover sua própria subsistência mediante trabalho honesto. Como parte do acordo, ele terá de pagar multa de R$ 2 milhões.

Pizzolato foi condenado a 12 anos e 7 meses de prisão, além de multa, pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro na Ação Penal 470, o processo do mensalão.

Após sentença no STF em 2014, Pizzolato fugiu para a Itália com documento falso.

Venezuela backs national cryptocurrency with 5000000000 barrels of crude
Gunson says that the top brass has gained so much control over the economy that it has a strong incentive to keep Maduro in power. He said its value would be pegged to the country's vast reserves of oil and gas as well as its mineral wealth, including gold.

WhatsApp vai deixar de funcionar em várias plataformas
Se você ainda usa o WhatsApp num smartphone com sistema Windows, é hora de dar adeus ao app - ou usá-lo de forma "irregular". Isto porque a app deixará de funcionar em qualquer smartphone que não tenha os referidos sistemas operativos.

Maluf pode receber cuidados na prisão, aponta perícia do IML
Apesar de julgar pela prescrição do crime de corrupção passiva, os ministros votaram pela condenação por lavagem de dinheiro. Com base nisso, seus advogados pediam que sua prisão fosse convertida em domiciliar.

Contaram para a remissão da pena dias de trabalho e estudo. O relator salientou que não há registro de cometimento de falta disciplinar de natureza grave ou notícia de que o sentenciado tenha mau comportamento carcerário.

O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato deixou hoje (28) a Penitenciária da Papuda, no Distrito Federal, para cumprir o restante de sua pena em liberdade condicional. Desde 31 de maio deste ano ele está no regime semiaberto, em que o preso volta para o presídio somente à noite, para dormir. No processo, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional informou que o débito da multa já está inscrito em Dívida Ativa da União, "havendo o sentenciado comprovado a adoção das medidas necessárias à formalização do acordo de parcelamento do débito". Pizzolato chegou por volta das 14h na audiência realizada na Vara de Execuções Penais em Brasília onde foram avalizados os termos para que o ex-diretor possa cumprir a liberdade condicional.

Related news