'Persona non grata': Venezuela expulsa embaixador brasileiro do país

'Persona non grata': Venezuela expulsa embaixador brasileiro do país

'Persona non grata': Venezuela expulsa embaixador brasileiro do país

Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela inicia processo para declarar diplomata Ruy Pereira como 'persona non grata'.

Caso isso aconteça, "o Brasil aplicará as devidas medidas recíprocas", adianta o Ministério das Relações Exteriores.

Caracas, 24 dez (Lusa) - Três presos políticos luso-venezuelanos vão passar o Natal com familiares em liberdade condicional na sequência de uma recomendação feita no sábado pela Assembleia Constituinte aos organismos judiciais da Venezuela. Em nota, o Itamaraty disse que caso o anúncio seja confirmado, "essa decisão demonstra, uma vez mais, o caráter autoritário da administração Nicolás Maduro e sua falta de disposição para qualquer tipo de diálogo". Justificativa do regime de Maduro é a "violação do fio constitucional" no Brasil.

"No âmbito das competências da Assembleia Nacional Constituinte, em que está justamente a soberania, nas nossas bases de comissão, decidimos declarar 'persona non grata' o encarregado de negócios do Canadá, e declarar 'persona non grata' o embaixador do Brasil, até que se restitua o fio constitucional que o governo de fato vulnerou, no caso deste país-irmão", declarou Rodríguez em comunicado transmitido pelo canal de televisão estatal VTV.

Ruy Pereira foi nomeado embaixador da Venezuela em 2013, pela então presidenta Dilma Rousseff.

Corea del Norte condena nuevas sanciones de ONU como "acto de guerra"
Su visita fue el primer intercambio en profundidad de puntos de vista entre funcionarios de la ONU y de Corea del Norte en casi ocho años.

Canadá anuncia expulsão de diplomata venezuelano
A diplomacia canadense adotou uma medida de resposta contra a decisão da Venezuela de expulsar o embaixador do Canadá do país, declarando o embaixador venezuelano como " persona non grata ".

Boeing negocia parceria com Embraer
O negócio poderia acrescentar jatos regionais ao portfólio de aeronaves comerciais da Boeing, diz o jornal. Boeing e Embraer não pretendem fazer comentários adicionais sobre essas discussões ".

Em agosto, Brasil e Canadá expressaram apoio ao Parlamento venezuelano, de maioria opositora, e se opuseram à formação da Assembleia Constituinte da Venezuela. Para o representante do Fórum Penal, ao governo do presidente Nicolás Maduro interessa reduzir o número de presos para diminuir os custos que eles representam.

A decisão, que na prática significa que Pereira e Kowaliki não podem mais permanecer no país, ocorreu depois de o governo brasileiro emitir um comunicado na quinta-feira no qual condena a "arbitrária dissolução dos governos municipais de Caracas e Alto Apure e a imposição de exigências que comprometem a participação de importantes partidos de oposição no processo eleitoral".

A liberdade de todos os classificados pela oposição como presos políticos é uma das reivindicações dos antichavistas nos diálogos mantidos com o governo, na República Dominicana, a fim de buscar uma solução para a crise que a Venezuela vive há meses.

Países ocidentais e vizinhos latino-americanos têm criticado cada vez mais Madur;, acusando-o de desrespeitar a democracia e os direitos humanos.

Related news