Delegado detalha como ocorreu suposto superfaturamento do Canal do Sertão; vídeo

Delegado detalha como ocorreu suposto superfaturamento do Canal do Sertão; vídeo

Delegado detalha como ocorreu suposto superfaturamento do Canal do Sertão; vídeo

Além dos imprescindíveis veículos de comunicação do País, algumas autoridades igualmente repercutiram a Operação Caribdis, deflagrada nesta quinta-feira, 30, pela Polícia Federal, para investigar irregularidades nas obras do Canal do Sertão durante a gestão do então governador Teotonio Vilela Filho (PSDB).

A operação investiga fraudes em lotes das obras do Canal do Sertão licitados pelo governo de Alagoas em 2009 e 2014. No total, estão sendo cumpridos 11 mandados de busca e apreensão em Maceió e Região Metropolitana, além de Salvador (BA), Limeira (SP) e Brasília.

Um delegado e mais dois agentes da PF entraram no apartamento do ex-governador para cumprir a ordem judicial.

Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Federal de Alagoas.

O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a PF a utilizar provas decorrentes de colaborações premiadas de pessoas ligadas à Construtora Norberto Odebrecht.

Vulcão faz Emirates suspender voos para Bali
A última grande erupção do vulcão Agung ocorreu em 1963 e prolongou-se por quase um ano, causando mais de 1.100 mortos. Os principais pontos de travessia marítima foram aconselhados a se prepararem para um pico de passageiros e veículos.

A primeira casa de Harry e Meghan
Assim como Kate Middleton e Diana , Meghan não ganhará oficialmente o título de princesa, pois não tem "sangue real". Já seu irmão, William , e a duquesa de Cambridge, Kate Middleton , afirmaram que "estão empolgados" com a notícia.

Fiat Cronos: rival do VW Virtus terá motores 1.3 e 1.8
A Fiat não divulgou por enquanto nenhuma foto do interior do Cronos , mas espera-se que seja idêntico ao do irmão hatch. Haverá opções de câmbio manual, automatizado GSR (o antigo Dualogic) e automático de seis velocidades (para o 1.8).

Arquitetada pela Superintendência Regional Polícia Federal (PF), em Alagoas, com participação direta do Ministério Público Federal (MPF), a operação em andamento tem como objetivo colher materiais que comprovem os indícios de fraude na licitação, desvio de verbas públicas, corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Em 2016, um acórdão do Tribunal e Contas da União apontou a existência de sobrepreço de R$ 127,9 milhões nos trechos 3, 4 e 5 da obra. "A soma das penas máximas atribuídas aos delitos citados pode chegar a 46 anos de prisão", pontua a PF em Alagoas.

A PF apurou durante a investigação que também houve acordo para a divisão dos lotes da obra com a Construtora OAS.

Os detalhes da operação serão apresentados em entrevista coletiva na manhã desta quinta, na sede da PF em Maceió.

Por meio de nota, Teotônio Vilela Filho disse ter "consciência de que não praticou nenhum crime e que a verdade será restabelecida" e que assegura ser "o maior interessado na elucidação dessas investigações".

Related news