Autoridades britânicas impediram atentado contra Theresa May

Autoridades britânicas impediram atentado contra Theresa May

Autoridades britânicas impediram atentado contra Theresa May

Segundo o Sky News, o plano passaria por primeiro atirar um explosivo na Downing Street, a residência oficial do primeiro-ministro do Reino Unido, para causar o pânico e, posteriormente, matar May.

Acredita-se que este tenha sido o novo ataque terrorista que foi parado antes de acontecer no país desde março deste ano.

Segundo membros do governo ouvidos pelos dois veículos, a intenção era usar uma bomba disfarçada em uma bolsa para explodir os portões da residência oficial do chefe de governo, em Downing Street, e matá-la a facadas.

Trump informa a Abbas que deseja transferir embaixada para Jerusalém (Autoridade Palestina)
O prazo para ele dar a ordem adiando a transferência por mais seis meses acabou nesta segunda-feira (4). Não surgiram comentários imediatos do governo de Israel aos comentários de Zomlot.

O governo Temer terá candidato à sua sucessão — Ministro da Fazenda
Segundo ele, uma eventual candidatura depende da "consolidação e percepção pela população do crescimento econômico e, mais importante, dos benefícios que isso vai trazer".

Relator conclui voto sobre condenação de Lula na Lava Jato
De acordo com o processo, o ex-presidente recebeu o apartamento como pagamento de propina em troca de favores na Petrobras. Foi definido o primeiro voto que julgará o recurso contra a condenação do ex presidente.

Trata-se de Naa'imur Zakariyah Rahman e Mohammed Aqib Imran, respectivamente de 20 e 21 anos de idade. Os dois suspeitos foram detidos na semana passada e, desde então, permanecem sob custódia das autoridades.

Na audiência, Naa'imur Zakariyah Rahman, de longos cabelos pretos, confirmou seu nome e data de nascimento e disse que não tinha domicílio fixo.

Imran é também acusado de ter tentado a posse de um passaporte falso para se juntar a um grupo afiliado do Estado Islâmico na Líbia. A seriedade do plano levou o diretor-geral do serviço de segurança interna britânico (MI5), Andrew Parker, a informar o Governo de Theresa May sob o caso que estaria em curso. Quatro deles foram reivindicados pelo EI, resultando em 36 mortos e quase 200 feridos. A polícia deteve dois homens, suspeitos de estarem por detrás do plano orquestrado, que devem comparecer esta quarta-feira em tribunal, avança a Sky News. "O Reino Unido enfrenta uma intensa ameaça terrorista, que é multidimensional, evolui rapidamente e a uma escala e ritmo que não havíamos registrado antes", afirmou a polícia.

Related news