Associação, ex-presidente e ex-secretário de Estado alvo de buscas — Raríssimas

Associação, ex-presidente e ex-secretário de Estado alvo de buscas — Raríssimas

Associação, ex-presidente e ex-secretário de Estado alvo de buscas — Raríssimas

Entretanto, três elementos da direção da Raríssimas estão a caminho da Casa dos Marcos para decidir o futuro de Paula Brito e Costa na direção-geral da instituição.

Uma fonte da Polícia Judiciária (PJ) especificou que o antigo gabinete do ex-secretário Manuel Delgado está a ser alvo de buscas.

Pedro Duro desvalorizou o facto de Paula Brito e Costa ter sido constituída arguida ou estar indiciada da prática de crimes, sublinhando que "inquéritos há muitos", mas quanto a uma condenação logo se verá.

A PJ vai analisar os dados guardados no computador de trabalho de Paula Brito da Costa.

Justiça dos EUA condena Marin por seis das sete acusações de corrupção
A Corte do Distrito Leste de Nova York , nos Estados Unidos, condenou o ex-presidente da CBF, José Maria Marin , de 85 anos. Já o ex-presidente da Federação Peruana de Futebol, Manuel Burga, ainda não teve o veredicto de seu caso anunciado.

Google fecha com Sony e Universal para lançamento de streaming de músicas
Em maio, o YouTube se associou à terceira maior gravadora e distribuidora do mundo da música, o Warner Music Group . O contrato "reforça o compromisso do Youtube de respeitar os direitos da música em sua plataforma", acrescentou.

PMDB oficializa troca de nome para MDB
Em discurso, voltou a defender e disse que a reforma a Previdência deve "ampliar" a geração de empregos no Brasil . Vale destacar que a mudança de PMDB para MDB ainda deve ser autorizada pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Além disso, foi também instaurado um "procedimento prévio de inquérito" à atuação da ex-presidente. Questionado pela Lusa, o Ministério da Saúde disse não fazer comentários. Entre os procedimentos que podem ser irregulares por parte de Paula Brito e Costa estão "o reembolso de supostas despesas, através da apresentação de documentação com informações falsas, e o indevido pagamento, por essa IPSS, de viagens a titulares de cargos públicos". A ex-presidente da associação pagou ainda com dinheiro da associação vários cursos de formação avançada na escola de negócios AESE para si, para o seu filho e para a ex-vice-presidente da Raríssimas, confirmou ao i a escola de negócios.

O DIAP de Lisboa abriu o inquérito há uns dias, na sequência da investigação da TVI que acabou por levar já à demissão do secretário de Estado da Saúde Manuel Delgado, que terá recebido 63 mil euros para ser consultor da Raríssimas na altura da construção da Casa dos Marcos.

Paula Brito e Costa esteve esta quarta-feira na associação que acolhe pessoas com doenças raras, na Moita, motivando protestos dos funcionários. A suspensão deve-se a possível "perturbação do inquérito".

Related news