Não há "pré-acordo" mas há avanços, estima Fenprof

Não há

Não há "pré-acordo" mas há avanços, estima Fenprof

Os professores acrescentam no documento que, para satisfação desta "justa reivindicação", declaram-se "abertos à negociação de uma recuperação faseada do tempo" que a carreira esteve congelada.

Os docentes rejeitam ainda novas penalizações, alegadamente decorrentes de um qualquer regime transitório, e exigem ser esclarecidos sobre um dos artigos da proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2018, exigindo a sua eliminação, caso se destine a prolongar a permanência dos docentes nos escalões em que encontram. Em causa está o descongelamento do tempo de serviço para efeitos de progressão na carreira previsto para a maioria dos funcionários públicos na proposta de orçamento de Estado para 2018, uma medida que não abrange os professores.

A Fenprof foi a primeira a reunir-se com o Governo, tendo Mário Nogueira saído depois a dizer que o nível de adesão à greve de quarta-feira é que vai determinar a resolução das exigências dos professores.

"Os professores não ficam de fora do processo de descongelamento das carreiras, como nenhuma carreira da Função Pública está fora do processo de descongelamento das carreiras".

Há dez anos que a progressão na carreira dos professores está interrompida.

WhatsApp mudará botão para gravar áudio; saiba como funcionará
Nela, assim que se inicia a gravação de um áudio, um botão "deslizável" aparece para o usuário poder bloquear a operação. O botão para gravação e envio de áudios no WhatsApp deve passar por uma mudança em breve.

Nova versão do Firefox consome menos memória que o Chrome
O navegador lançado oficialmente hoje pela Mozilla também renova o visual do programa, com detalhes mais sutis e minimalistas. A Mozilla anunciou nesta terça-feira (14) o lançamento de seu novo navegador, o Firefox Quantum .

Itália está fora do Mundial, 60 anos depois
E como não poderia deixar de ser, para a dramática imprensa italiana, foi o fim do mundo. E eu fico me perguntando o que teria acontecido se fosse um 7 a 1...

Já o porta-voz da Frente Sindical dos Professores, que representa oito sindicatos distintos, disse acreditar que os dois governantes deram "um sinal de abertura".

Carlos Silva, dirigente máximo da UGT, interveio também para sublinhar que os professores "não desistem de lutar" e que contam com o apoio daquela central sindical na defesa dos seus direitos. "E ainda temos por resolver a questão de como é que vai ser feito esse faseamento".

Estas duas estruturas sindicais tinham obtido resultados bastante diferentes, com o Governo a manter uma posição intransigente que remetia para a próxima legislatura qualquer pagamento relativo à reposição salarial da contagem de tempo de serviço congelado aos docentes, para além de pretender não contar o tempo congelado na totalidade.

Seja sempre o primeiro a saber.

Related news