Mercedes é soberana e Bottas vence na última prova de 2017

Mercedes é soberana e Bottas vence na última prova de 2017

Mercedes é soberana e Bottas vence na última prova de 2017

Valtteri Bottas teve um final de época forte com duas pole-positions e a vitória neste domingo no GP de Abu Dhabi que fechou a época 2017 da Fórmula 1. O finlandês da Mercedes dominou a prova disputada no Circuito de Yas Marina desde a largada, apenas deixando momentaneamente o comando quando efetuou a paragem nas boxes obrigatória. O triunfo na última corrida da temporada foi de ponta a ponta e ele resistiu aos ataques do seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton.

Para Bottas foi um terceiro triunfo inteiramente merecido, que solidifica a sua situação no seio da equipa Mercedes, com a qual já tinha renovado para a próxima época, onde voltará a formar dupla com Hamilton. O piloto travou batalha intensa com o britânico Lewis Hamilton, mas conseguiu levar a melhor em cima do campeão deste ano.

Embalado pela vitória no Brasil Sebastian Vettel surge como ameaça ao favoritismo de Hamilton
Embalado pela vitória no Brasil Sebastian Vettel surge como ameaça ao favoritismo de Hamilton

Muito depois, chegaram os dois Red Bull, o holandês Max Verstappen em quinto, a 32,940 segundos, e o australiano Daniel Ricciardo em sexto, a 48,691.

"É verdade que os finlandeses não mostram muito as emoções, mas isso não significa que não as tenhamos".

Sport vence o Fluminense por 2x1 e deixa temporariamente o Z-4
Com a vantagem dilatada no placar, o Sport recuou em demasia, permitindo que a equipe carioca gostasse da partida. No próximo dia 3 de dezembro, o time joga pela permanência na elite contra o campeão Corinthians, em Recife.

Vice-consulesa americana leva tiro no Rio de Janeiro
Segundo informações, o crime aconteceu na BR-101 (Rodovia Rio-Santos), na altura do bairro Ariró, no km 489. As investigações sobre o caso estão sob responsabilidade da 166ª Delegacia de Polícia, em Angra dos Reis.

Agravada pena de prisão de Oscar Pistorius
Condenado em primeira instância a seis anos por homicídio, o Supremo decidiu aumentar para 13 anos e cinco meses a condenação. Por achar a pena demasiado leve, o Ministério Público da África do Sul quis que a pena aumentasse para os quinze anos.

Related news