Fachin envia a Moro denúncia contra Cunha, Alves, Geddel e Loures

Fachin envia a Moro denúncia contra Cunha, Alves, Geddel e Loures

Fachin envia a Moro denúncia contra Cunha, Alves, Geddel e Loures

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu desmembrar as denúncias contra o presidente Michel Temer e enviou parte do processo, que envolve pessoas sem foro privilegiado, para a Justiça Federal.

Por isso, a acusação por organização criminosa contra o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), os ex-ministros Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) e Henrique Eduardo Alves (Turismo) e o ex-assessor de Temer Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) vão para as mãos de juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato no Paraná.

Fachin também determinou o envio para o juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, da parte do inquérito que trata da acusação de obstrução de justiça contra Cunha, Rocha Loures, o empresário Joesley Batista, o executivo da JBS Ricardo Saud, e Lúcio Bolonha Funaro, apontado como operador de políticos do PMDB, além de sua irmã, Roberta Funaro Yoshimoto.

A decisão indica que, se vierem a deixar os cargos de ministro antes do fim do mandato de Temer, Padilha e Moreira Franco também podem ter o andamento de suas acusações retomadas e enviadas para a primeira instância da Justiça.

Trump pede mais rigor contra imigrantes após ataque em Nova York
O fim do "Programa da Loteria de Vistos da Diversidade" seria outro golpe para os que aspiram a imigrar aos Estados Unidos .

Funaro afirma que Temer recebeu R$ 2,5 milhões para campanha de 2010
Também devem depor hoje os ex-presidentes da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves. A assessoria de imprensa do ministro rechaçou as acusações feitas pelo empresário.

Federer supera Del Potro e obtém oitavo título de Basileia
Porém, para se manter na briga pelo número um do mundo, o suíço precisaria de um resultado melhor do que o espanhol em Paris.

Os acusados foram apontados pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, como responsáveis por formar um grupo criminoso que atuava em nome do PMDB na Câmara. Já a denúncia de obstrução de Justiça, que também atinge Temer, ficará na Justiça Federal do Distrito Federal.

"Ao lado disso, consignou-se, por ocasião do julgamento (.), que o Plenário do Supremo Tribunal Federal reconheceu a competência do Juízo da 13ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Curitiba para a administração da prisão processual que lhe foi imposta", ressaltou Fachin.

Fachin também determinou o sigilo de parte da delação de Funaro que já era pública.

Cunha chegou a Brasília em setembro para prestar depoimento na ação que apura desvios em recursos do Fundo de Investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS).

Related news