É desnecessária fala de Segovia sobre MP, diz procurador da Lava-Jato

É desnecessária fala de Segovia sobre MP, diz procurador da Lava-Jato

É desnecessária fala de Segovia sobre MP, diz procurador da Lava-Jato

Em sua cerimônia de posse, o novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, admitiu que há uma disputa institucional de poder entre a corporação com o Ministério Público e disse que esse movimento só favorece o crime organizado. Empossado nesta segunda (20), Segóvia se envolveu em polêmica ao questionar a condução da investigação em torno da denúncia apresentada contra o Presidente Michel Temer, em entrevista coletiva após a transmissão de cargo.

O nome de Segovia foi referendado por caciques do PMDB, partido atingido pela Lava-Jato, entre eles, o ex-presidente da República José Sarney.

Avião militar dos EUA cai no Oceano Pacífico com onze a bordo
Este é o último da série de acidentes que envolvem a investida norte-americana em mares próximos à Coreia do Norte. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou apoio às operações de busca dos soldados desaparecidos.

Boicote pode ter tirado Gigi Hadid do desfile da Victoria's Secret
Sua roupa terminou causando uma indignação generalizada porque o girassol foi adotado no ano anterior por manifestantes anti-China.

Temer se reúne com Maia para discutir sobre reforma da Previdência
Sobre a articulação política, Temer deve avançar nos próximos dias. A tendência é encontros sobre este tema se intensifiquem. Mas o PP defende que o deputado se filie ao partido.

Em post com o título "Começou bem", Lima escreveu que não cabe ao diretor-geral emitir opinião sobre as denúncias na operação. O novo diretor disse que, se dependesse da PF, a apuração não teria terminado em prazo tão curto. Ele se referia à mala com R$ 500 mil carregada à pressas pelas ruas de São Paulo pelo ex-assessor especial de Temer Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) - em ato filmado pela PF. Segundo a PGR, Temer era o destinatário do dinheiro. "Uma única mala talvez não desse toda a materialidade criminosa que a gente necessitaria para resolver se havia ou não crime, quem seriam os partícipes e se haveria ou não corrupção", afirmou ele, cuja posse foi prestigiada pelo próprio Temer. “Hoje, há uma infeliz e triste disputa entre a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, mas confio no espírito de maturidade dessas instituições.

O novo Diretor Geral, Fernando Segovia, reafirmou sua postura de obedecer sempre estritamente as leis e a Constituição Federal, respeitando os direitos humanos e a independência no cumprimento do dever. E também seria esclarecido por que Joesley (Batista, dono da JBS) sabia quando iria acontecer (a divulgação da delação) para ganhar milhões no mercado de capitais - disse Segóvia.

Related news