Colégio onde aluna foi morta tem câmeras e vigias — Alexânia

Colégio onde aluna foi morta tem câmeras e vigias — Alexânia

Colégio onde aluna foi morta tem câmeras e vigias — Alexânia

Um jovem de 19 anos entrou esta segunda-feira numa sala de aula da sua antiga escola em Goiás, no Brasil, e atingiu 11 vezes a tiro uma aluna, de 16 anos, que morreu do local, anunciaram as autoridades.

Segundo a delegada o suspeito alegou que "sentia ódio" da vítima e por essa razão, ele decidiu comprar um revólver e assassiná-la. A partir do depoimento dele entendemos que ele tentou namorar com ela, mas foi rejeitado.

"Ele nos disse que foram onze disparos, todos eles no rosto da menina". De acordo com a delegada, Misael entrou na escola, invadiu a primeira sala de aula do corredor, mas não encontrou a vítima. Nós já ouvimos o depoimento dele, agora vamos seguir os procedimentos - declarou a delegada. Além disso, salientou que três psicólogas e uma assistente social da Coordenação Regional de Educação, Cultura e Esporte (Crece), de Anápolis, se deslocaram para a escola para apoiar servidores, alunos e familiares da vítima.

Misael será autuado por homicídio qualificado e encaminhado ao presídio. Com o detido, foi apreendido um revólver calibre 32. Segundo o órgão, a escola possui câmeras de segurança no pátio e dois vigias noturnos.

Visita de Trump à Ásia pode aumentar tensão com a Coreia
Após a escala, Trump dá início à viagem de 11 dias à Ásia, que incluirá visitas ao Japão, Coreia do Sul , China, Vietnã e Filipinas.

Catalunha: Puigdemont apela a frente unida de independentistas
O líder deposto da Catalunha, Carles Puigdemont , se apresentou neste domingo (5) à Justiça da Bélgica. A promotoria belga, no entanto, não confirma os nomes dos políticos que se entregaram.

Gustavo Lima foge após Policial Militar atirar durante show em Rondonópolis
Segundo informações do site Marreta Urgente, dois policiais militares teriam se desentendido e acabaram se enfrentando no local. O militar baleado foi levado ao Hospital Regional de Rondonópolis, onde recebeu atendimento médico e foi liberado.

"A Seduce lamenta profundamente o trágico acontecimento e informa que trabalha em um esforço contínuo para manter a paz e a fraternidade no ambiente escolar", diz a nota.

O advogado de Misael já se apresentou na delegacia para acompanhar a oitiva dele. Entretanto, o jovem também disse que iria tomar veneno caseiro e efetuar um disparo contra si. Segundo o texto, logo após o crime a direção tomou todas as providências chamando a Polícia Militar e comunicando o fato à família da vítima.

O tio da estudante disse, em entrevista à TV Anhanguera, que chegou "desesperado" ao colégio logo após o crime, e que viu a sobrinha dando "os últimos suspiros".

O motivo do crime foi o fato de o jovem não ter aceito o fim de um relacionamento amoroso com a adolescente.

Related news