Campanha para abolir armas nucleares ganha Nobel da Paz

Campanha para abolir armas nucleares ganha Nobel da Paz

Campanha para abolir armas nucleares ganha Nobel da Paz

O Comitê do Nobel enfatizou ainda que os próximos passos para a conquista de um mundo livre de armas nucleares devem envolver os Estados com armas nucleares, "para eliminar gradualmente as 15 mil armas nucleares do mundo".

Foi sob a enorme pressão exercida por aquela organização que, em julho deste ano, 122 países aprovaram nas Nações Unidas o esboço de um tratado que, caso venha a ser ratificado por pelo menos 50 países - 53 já o assinaram, mas apenas 3 o ratificaram - abre caminho à proibição de todas as armas nucleares existentes.

"É inaceitável que ainda existam países que tenham e que ameacem utilizar as armas nucleares".

"Desde a Guerra Fria fomos educados a aceitar que há alguns países bons o suficiente para ter armas nucleares e outros não", diz ele, que é professor da Universidade Federal do Pampa, no Rio Grande do Sul, e atua desde 2004 na área de desarmamento humanitário.

A organização já agradeceu a atribuição da distinção na sua página de Facebook, onde também quis dedicar o Nobel "aos sobreviventes dos atentados atómicos de Hiroshima e Nagasaki e vítimas de explosões de testes nucleares em todo o mundo". Entre os países que se recusaram a assinar o acordo estão os EUA, a Rússia, a China, o Reino Unido e a França.

Brasil ignora altitude, mas para no goleiro
Em entrevista coletiva concedida depois do empata com a Bolívia , Tite ressaltou o compromisso dos jogadores com a Seleção. No primeiro turno, a seleção brasileira derrotou os bolivianos por 5 x 0 , na arena das dunas, em Natal.

Temer anuncia veto a lei eleitoral com poder de censura na internet
Caso fosse confirmado que o usuário é uma pessoa real e não um perfil falso, a postagem supostamente seria liberada. A Secretaria de Comunicação da Presidência divulgou o comunicado nesta sexta-feira (6).

Nobel da Literatura para o Inglês Kazuo Ishiguro
O nome de Ishiguro não estava entre os favoritos. "Então de certo modo sim, foi uma surpresa", afirma. Ishiguro escreveu oito romances , assim como roteiros para cinema e televisão.

Numa altura em que a tensão cresce entre os Estados Unidos da América e a Coreia do Norte, Francisco realçou a importância de "um mundo sem armas nucleares", que vá ao encontro do "Tratado de não-proliferação para abolir estes instrumentos de morte". "É uma resposta à preocupação cada vez maior da comunidade internacional de que qualquer uso de armas nucleares causaria danos catastróficos, generalizados e duradouros às pessoas e ao nosso planeta", lê-se no comunicado.

Beatrice Fihn, diretora executiva do aliança anti-nuclear, recebeu a notícia com natural satisfação e voltou a fazer campanha pela causa defendida pela ICAN.

O prêmio da Paz fecha os anúncios do Nobel esta semana, que foi aberto na última segunda-feira (2) com o de Medicina aos cientistas americanos Jeffrey C. Hall, Michael Rosbash e Michael W. Young, por descobrir os mecanismos do chamado relógio biológico. Mas à semelhança do que aconteceu com a convenção para a proibição das minas antipessoais, os promotores acreditam que o tratado, ao declarar ilegal o fabrico, posse ou sequer a ameaça de uso destas armas, contribuirá para deslegitimar os arsenais nucleares - uma posição a que o Nobel da Paz dá força.

Momentos após o anúncio, o site da ICAN registou problemas no acesso. Principalmente após as polêmicas envolvendo a secretária-geral de Myinmar, Aung San Suu Kyi, laureada em 1991.

Related news