Autoridades catalãs aprovam resolução para declarar independência

Autoridades catalãs aprovam resolução para declarar independência

Autoridades catalãs aprovam resolução para declarar independência

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, anuncia a dissolução do Parlamento catalão e a convocação de eleições autonómicas para 21 de dezembro.

O Parlamento catalão não será dissolvido, mas terá sua atividade legislativa reduzida.

A declaração foi feita por Rajoy nesta sexta-feira (27), e transmitida em rede nacional, por volta das 20h15 (16h15 no horário de Brasília). "Essa independência é triste e nos leva a ter medo", acrescentou o premier. A reunião ai abordar as medidas a adotar sob o abrigo do artigo 155 da Constituição espanhola.

O que já está previsto é o repúdio do governo catalão e o incremento dos protestos em Barcelona, acusando Madri de um gesto autoritário.

A resolução catalã foi aprovada em uma votação no final de uma sessão tumultuada no parlamento, que foi abandonada pelos principais partidos de oposição antisseparatistas.

Pânico na Band será cancelado ainda este ano
O canal ainda não se pronunciou a respeito da notícia, mas o colunista afirma que o fim do humorístico é certo . Nem a direção da Band , nem o apresentador Emílio Surita , comandante da trupe, comentam o assunto.

Abe promete 'medidas contundentes' contra Coreia do Norte após reeleição
Até por conta disso, ele dissolveu o Parlamento e convocou as eleições antecipadas deste domingo. Uma centena de milhões de eleitores foram chamados a renovar os 465 lugares da assembleia.

MPD considera "retrocesso" portaria do trabalho escravo
De 1996 a 2016, foram resgatados 52 mil trabalhadores e existem ainda milhares de vítimas da escravidão moderna. Em todo o país são 132 empregadores autuados por manterem trabalhadores em condições análogas à escravidão.

Pouco antes da votação, a presidente da câmara, Carme Forcadell, avisou que os deputados poderiam ser afetados pela advertência do Tribunal Constitucional contra quem participar de atos favoráveis à independência da Catalunha.

O parlamento catalão aprovou esta tarde - por 70 votos a favor, 10 votos contra e dois votos em branco - a resolução que proclama, de forma unilateral, a nova República da Catalunha. Essas forças impulsionaram o plebiscito de 1º de outubro, com 43% de participação e 90% dos votos no "sim".

Durante a declaração, Rajoy informou que, além de Puigdemont, todo o governo catalão foi destituído, incluindo todas as "embaixadas" da Catalunha no estrangeiro. Em meio ao agravo da crise, o Ministério Público pode acusar Puigdemont e o restante da liderança catalã pelo crime de rebelião, que leva a até 30 anos de prisão.

O Presidente da República criticou hoje a declaração unilateral de independência da Catalunha, considerando que desrespeita a Constituição espanhola e não contribui para salvaguardar o Estado de direito democrático e defendeu o respeito pela unidade de Espanha. Com informações da Folhapress.

Descarregue a nossa App gratuita.

Related news