Anuário de Segurança Pública é divulgado; números assustam

Anuário de Segurança Pública é divulgado; números assustam

Anuário de Segurança Pública é divulgado; números assustam

Os mais de 61,5 mil assassinatos cometidos em 2016 no Brasil equivalem, em números, às mortes provocadas pela explosão da bomba nuclear que dizimou a cidade de Nagasaki, no Japão, em 1945, durante a Segunda Guerra Mundial.

"A violência se espraiou para todos os estados". No ano passado, foram mortos 40 policiais civis e militares em serviço e 92 durante o período de folgas em terras fluminenses. Teve uma taxa de 64,1 homicídios por 100 mil habitantes e um total de 949 mortes, crescimento de 21% em relação a 2015.

O que andou aumentando no Estado também foi o crime de latrocínio - roubo seguido de morte.

Os dados são tabelados pelo fórum, organização que reúne especialistas no tema, com base em informações fornecidas pelas secretarias de segurança públicas e polícias Civil e Militar dos Estados. A maior redução foi observada nos gastos do governo federal: 10,3%.

Em 11 anos, o número de pessoas desaparecidas no Piauí saltou de 155, em 2007, para 466 em 2016.

Flamengo x Vasco: relembre os últimos dez jogos e vote no melhor
Vinicius Junior e Vizeu no Fla, e Gilberto e Caio Monteiro no Vasco , foram as alternativas dos treinadores em busca da vitória. Aos 22, Reinaldo Rueda faz duas substituições no ataque, para dar sangue novo e uma variação no estilo de jogo.

FC Porto vence Boavista com segundo tempo demolidor — Crónica
No Olival, Sérgio Conceição voltou somente a não poder contar com a única "baixa" por lesão. Se levássemos pontos deste jogo seria normal devido ao desenrolar de 80 minutos".

Acidente entre carro e ônibus mata quatro pessoas na BR-277
Mais um trágico acidente foi registrado na madrugada de quinta-feira (26) na BR-277, em Irati, região dos Campos Gerais . Por volta das 7h30, o trânsito no km 266 da rodovia estava parcialmente interditado, no sistema pare e siga.

Santa Catarina registrou no ano passado 15 mortes violentas intencionais por cada 100 mil habitantes, segundo dados do 11º Anuário da Violência, divulgado nesta segunda-feira. A pesquisa ainda aponta que 56% deles eram negros e 43% brancos. Dos 4.657 casos, apenas 533 foram classificados como feminicídio, uma das qualificadoras do Código Penal que aumenta a pena para o acusado em caso de condenação. Foram 81 bilhões gastos pela União, pelos Estados e pelos Municípios em 2016, queda de 2,6% na comparação com 2015.

Em todo o Acre, em 2015, foram registrados 524 estupros, uma taxa de 65,2% a cada 100 mil habitantes, segundo as informações publicadas pelo Fórum no anuário de 2016. Em 2016 aconteceram 2.514 assassinatos durante assaltos ou em consequência deste crime.

Ainda de acordo com o estudo, o número de latrocínios (roubos seguidos de morte) cresceu 57,8% em sete anos no País.

Com os números de 2016, o Brasil atinge uma taxa de homicídios de 29,9 por 100 mil habitantes.A violência aumentou em todo o país, contrariando o cenário anterio que mostrava crescimento apenas nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. Nos 12 meses de 2016, as forças de segurança apreenderam 112.708 armas no país.

De acordo com a diretora do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno, o cenário para o futuro não é nada positivo, caso as políticas de prevenção, de segurança e de outros setores da gestão pública não se tornem prioridade na agenda dos governantes.

Related news