Safra brasileira deve fechar o ano com crescimento de 30,4% - 12/09/17 - ECONOMIA

Safra brasileira deve fechar o ano com crescimento de 30,4% - 12/09/17 - ECONOMIA

Safra brasileira deve fechar o ano com crescimento de 30,4% - 12/09/17 - ECONOMIA

O resultado significa uma queda de 0,9% em relação à estimativa do mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Só em agosto deste ano foram exportadas seis milhões de toneladas, 56% a mais quando comparado com agosto de 2016. Também devem ocorrer acréscimos na produção dos produtos: soja (19,6%), arroz (16,2%) e milho (54,7%). Apesar da redução de 0,2% na área a ser colhida, o rendimento médio cresceu 1,4%.

Quanto às áreas a serem colhidas, a estimativa para agosto (61,1 milhões de hectares) subiu 7,0% frente à área colhida em 2016 (57,1 milhões de hectares), puxadas principalmente pelos aumentos nas áreas de colheita de soja (2,3%), de milho (18,1%) e de arroz (4,0%).

A oitava revisão manteve a estimativa de uma safra recorde em 2017.

O milho de 2ª safra também apresentou queda de 1,2% na produção em relação aos dados levantados em julho, totalizando 67,4 milhões de toneladas.

Funaro: "Temer e Cunha tramavam diariamente a queda de Dilma"
A informação dada pelo doleiro está em um dos anexos da delação, já homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Procurado, o Palácio do Planalto ainda não comentou as declarações de Funaro.

Proposta dos EUA de sanções contra a Coréia do Norte é modificada
Refira-se que os têxteis representam para a Coreia do Norte a segunda maior exportação, depois do carvão e outros minerais.

Especialista: furacão Irma 'vai devastar os EUA'
Neste momento, o Irma avança pelo norte de Cuba , onde tocou terra, na noite de sexta-feira, no arquipélago de Camagüey. O " Irma " atingiu a Florida como um furacão de categoria 4 , com ventos superiores a 200 quilómetros por hora.

O estado da Bahia, por exemplo, foi citada como uma das regiões em que a produção será prejudicada (uma queda de quase 10%), já que as fortes chuvas no sul do estado diminuem a temperatura e atrasam a colheita.

A redução foi influenciada por uma queda do rendimento médio (-0,6%). A previsão ficou, porém, 0,5% menor do que a estimada em julho passado, com 1,2 milhão de toneladas a menos de grãos. A avaliação de Barradas é de que o início das colheitas gerou queda de preços do setor de alimentos, com destaque para o preço do feijão carioca, que recuou 14,86% em agosto. O País deve colher uma safra de 37,4 milhões de sacas de 60 quilos, ou 2,2 milhões de toneladas. O rendimento médio da safra de arábica aumentou 0,7 por cento em relação ao mês anterior.

Os levantamentos realizados neste mês apontam para um volume de produção 6,7% menor, segundo o instituto pela falta de chuvas regulares.

Related news