Pierre Bergé, companheiro de Yves Saint Laurent, morre aos 86 anos

Pierre Bergé, companheiro de Yves Saint Laurent, morre aos 86 anos

Pierre Bergé, companheiro de Yves Saint Laurent, morre aos 86 anos

Além de estar por trás da grife francesa, Bergé foi um grande colecionador de arte e filantropo, promovendo campanhas em prol dos direitos homossexuais e apoiando pesquisas envolvendo a Aids.

Bergé foi o empresário ambicioso, determinado, frio e muitas vezes polémico que pensou e executou todas as estratégias para o crescimento da marca homónima de Yves Saint Laurent. Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. No início dos anos 1980, Pierre decidiu terminar pois não suportava mais a vida de drogas e festas de Saint Laurent.

Pierre Bergé morreu hoje, aos 86 anos, em Saint-Rémy-de-Provence, em França.

"É parte da nossa memória literária e artística que desaparece com Pierre Bergé". Conforme informação do Estadão, o falecimento foi anunciado pela própria fundação de Pierre, por meio de um comunicado. A sociedade nos negócios, no entanto, não foi abalada.

Além do êxito no mundo dos negócios de moda, Bergé também era militante ativo da causa gay, lutou contra o antissemitismo, a xenovobia e fundou uma associação de apoio a pacientes portadores do vírus HIV.

Eis o carro do futuro da Jaguar Land Rover — Apenas um volante
A Jaguar Land Rover , marca de carros de luxo, realizou nessa semana a primeira edição do seu Tech Fest , evento sobre tecnologia automotiva.

Quem dominar a Inteligência Artificial vai ser líder do mundo
Em agosto juntou-se a mais de 100 especialistas nesta tecnologia num pedido para a proibição das armas autónomas. Seja lá quem se tornar o líder nessa esfera se tornará o líder soberano do mundo".

Mourinho diz que transferência de Neymar mudou mercado
Pensámos que poderia acontecer alguma coisa que iria mudar o mercado para sempre. Dias antes, o clube catalão pagou 40 milhões de euros em Paulinho.

Também é notória sua contribuição à cultura: de 1977 a 1981, Bergé dirigiriu o teatro de l'Athéné; e, de 1988 a 1993, presidiu a Ópera de Paris. Também foi responsável pela compra de novas obras para o Louvre e conquistou o título de Grande Mecenas das Artes e da Cultura.

Desde a morte do ex-companheiro, em 2008, Bergé vinha se dedicando à preservação de seu legado.

Em 2014, dois filmes sobre Saint Laurent foram lançados. O primeiro deles, "Yves Saint Laurent", retrata o começo da carreira do estilista - desde o momento em que assumiu a direção criativa da Dior até seu auge e os altos e baixos do relacionamento com Bergé, que cedeu peças originais para o figurino e ainda acompanhou a filmagem.

Começou, em 2015, a planear a abertura de dois museus dedicados à obra de Saint Laurent - era um dos seus últimos projetos - que serão inaugurados neste outono: um em Paris e outro na cidade marroquina Marraquexe. Ele ficou emocionado com tamanha semelhança do ator Pierre Niney com Saint Laurent.

Bergé nunca desistiu do amor. Em entrevista a um jornal português, há três anos, ele tentou se fazer entender, e só provou como seu pensamento se distancia do sistema da moda contemporâneo.

Related news