Geddel pede afastamento do PMDB por 60 dias; partido aceita

Geddel pede afastamento do PMDB por 60 dias; partido aceita

Geddel pede afastamento do PMDB por 60 dias; partido aceita

O inquérito policial que investiga a origem dos R$ 51 milhões encontrados em apartamento utilizado pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima será encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF). É um nome que a gente trabalha para que possa conduzir, senão por definitivo, pelo menos essa transição para o término do mandato atual, até que esse novo conjunto de forças mostre que o PMDB tem história, que essa história não pode ser rasgada, que o PMDB vai ter um papel importante na eleição de 2018. Ferraz disse ter ouvido de Geddel que a quantia iria abastecer campanhas de candidatos do PMDB da Bahia.

Na terça-feira, a PF cumpriu o mandado de busca e apreensão no apartamento de número 201 num edifício residencial em Salvador.

Geddel está preso desde a semana passada na Papuda.

Geddel decidiu ficar calado no depoimento à PF. Gustavo também não teria entrado em detalhes sobre o dinheiro, admitindo, porém, a busca de quantias em 2012, a mando do ex-ministro da Secretaria de Governo do presidente Michel Temer.

Liga dos Campeões: Real Madrid vence APOEL com "bis" de Cristiano Ronaldo
A conversa com Zidane no vestiário durante o intervalo deu resultado e o Real voltou mais ligado e incisivo para o segundo tempo. O português mandou para as redes um cruzamento de Modric, mas estava muito à frente do penúltimo marcador.

Funaro: "Temer e Cunha tramavam diariamente a queda de Dilma"
A informação dada pelo doleiro está em um dos anexos da delação, já homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Procurado, o Palácio do Planalto ainda não comentou as declarações de Funaro.

Os terríveis recordes do Irma
No centro de Miami, os ventos fortes derrubaram uma grua, que caiu sobre um edifício em construção, sem provocar feridos. Myers, indicando que tal corresponde a meio ponto percentual da economia norte-americana.

As informações foram registradas em relatório da PF que pediu à Justiça Federal em Brasília a expedição de mandado de busca e apreensão no apartamento, localizado na rua Barão de Loreto.

Vallisney de Oliveira reproduziu o entendimento da Polícia Federal, que vê indício de lavagem de dinheiro por parte do deputado.

Geddel é suspeito de receber R$ 20 milhões em propinas.

Na época, Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal, nomeado pela presidente Dilma Rousseff.

Related news