Violência marca votação na Venezuela

Violência marca votação na Venezuela

Violência marca votação na Venezuela

Em outro episódio, durante um protesto em Caracas, uma explosão deixou sete policiais feridos e incendiou quatro motos em uma avenida importante da capital venezuelana.

A polícia disparou gás lacrimogéneo e balas de borracha contra manifestantes numa das muitas escaramuças deste domingo.

José Félix Pineda, de 39 anos, candidato a integrar a Constituinte, foi morto, no sábado à noite, na Ciudad Bolívar, sudeste do país. A oposição está a boicotar aquilo que chama de eleição viciada e as manifestações têm degenerado em violência. Até o momento, o Ministério Público não vê motivações políticas nas duas mortes.

Entretanto, de acordo com o El País, que cita a vice-presidente do Conselho Nacional Eleitoral, Sandra Oblitas, o encerramento das urnas foi adiado por uma hora, das 18:00 para as 19:00 (respectivamente 23:00 e 0:00 em Portugal Continental) dada a existência de "filas" para as mesas de voto.

Críticos dizem que a Assembleia permitirá a Maduro dissolver o Congresso liderado pela oposição, atrasar futuras eleições e reescrever as regras eleitorais para evitar que os socialistas sejam expulsos do poder.

Trump assina lei com novas sanções contra Rússia, diz Casa Branca
A Casa Branca confirma que Donald Trump participou neste processo, mas não diz até onde chegou a sua colaboração. Donald Trump acabou com as dúvidas e assinou o projeto de lei que impõe novas sanções contra a Rússia .

¿Miley Cyrus usó photoshop en foto junto a Barack Obama?
Observando con detenimiento, existen una línea blanca a la derecha de la instantánea donde hay una dirección de redes sociales. Otros aprovecharon el momento para pedirle que asumiera de nuevo la presidencia .

Coreia do Norte lança novo míssil no Mar do Japão
Os média japoneses estão a avançar que a Coreia do Norte disparou um míssil sobre as águas do Japão . O artefato foi lançado em Mup'yong-ni e caiu no Mar do Japão , de acordo o Pentágono.

A oposição afirma que Maduro quer dissolver o Parlamento, que é dominado por representantes de partidos opositores, para se perpetuar no poder.

Questionado pelos jornalistas, na quarta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva considerou que a eleição foi "um passo negativo" e frisou que a União Europeia está a preparar uma declaração que, basicamente, refere que os Estados-membros não podem reconhecer a Assembleia Constituinte.

O processo decorre ainda sob as ameaças da aplicação pela administração norte-americana de novas sanções ao regime depois das eleições, num país marcado por uma crise económica que dificulta o acesso a bens alimentares, sob efeito da inflação descontrolada e da queda dos preços do petróleo nos mercados internacionais.

Nauert garantiu que os Estados Unidos vão "continuar a tomar medidas fortes e rápidas contra a Venezuela".

No país, a inflação provocou a falta de medicamentos e bens essenciais.

Related news