Vírgina (EUA) declara emergência após choques em marcha supremacista branca

Vírgina (EUA) declara emergência após choques em marcha supremacista branca

Vírgina (EUA) declara emergência após choques em marcha supremacista branca

Uma pessoa morreu e ao menos 19 ficaram feridas depois que um carro atropelou pessoas que estavam protestando pacificamente contra manifestantes supremacistas neste sábado (12) na cidade de Charlottesville, no estado de Virgínia, nos Estados Unidos, informou o Hospital Universitário de Virgínia.

Centenas de pessoas trocaram socos, chutes, lançaram garrafas e spray químicos.

O governador da Virginia declarou o estado de emergência em resposta a este protesto e, através da sua conta na rede social Twitter, disse que tomou tal decisão para "ajudar o Estado a responder à violência" na marcha de Charlottesville, a cerca de 160 quilómetros de Washington.

- Condeamos nos termos mais firmes possíveis essa exibição atroz de ódio, fanatismo e violência procedente de vários lados - disse o presidente de Bedminster, Nova Jersey, onde passa as férias. Milhares de pessoas eram esperadas. Atualmente, várias cidades americanas vêm retirando homenagens a militares confederados - o que tem gerado alívio para os que defendem o respeito à comunidade negra, e fúria entre os que manifestam atitudes racistas.

Petrobras registra lucro de R$ 316 mi; queda de 14,6%
A margem bruta subiu de 43,4%, no segundo trimestre de 2016, para 46,7% no período de abril a junho deste ano. Longe de animar, os resultados revelam recuo de quase 85% em relação ao mesmo período do ano passado.

Câmara de Lisboa apoia veto de Marcelo ao decreto da Carris
O Ministério do Ambiente anunciou, na mesma data, que a gestão da Carris ficaria a cargo da CM Lisboa a partir de dia 1 de fevereiro de 2017.

Oposição venezuelana denuncia 'sequestro de instituições' por governo Maduro
O encontro de Lima visava "abordar a crítica situação na Venezuela e explorar formas de contribuir para restauração da sua democracia, através de uma saída pacífica e negociada".

A manifestação chamada "Unir a Direita" teve início na noite de 11 de Agosto, sexta-feira, com o grupo a marchar pelo campus da universidade com tochas e a gritar palavras de ordem como "white lives matter, [vidas brancas importam]".

Estátua do confederado Robert E. Lee, que o governo da Virgínia pretende retirar.

A polícia, que acompanhou todo o protesto de longe, interviu e separou os dois grupos, enquanto ambulâncias se deslocavam ao local para socorrer os feridos. Para este sábado estava marcada uma cerimónia do grupo de nacionalistas brancos, também conhecido por supremacia branca, que foi cancelada devido aos confrontos que marcaram a manifestação levada a cabo esta manhã.

Related news