Trump: "Nos encarregaremos da Coreia do Norte"

Trump:

Trump: "Nos encarregaremos da Coreia do Norte"

Num contacto telefónico sobre o teste de um míssil intercontinental realizado na sexta-feira por Pyongyang, Donald Trump e Shinzo Abe concordaram que a "Coreia do Norte representa uma ameaça direta séria e crescente para os Estados Unidos, Japão, República da Coreia [Coreia do Sul] e outros países, próximos e longínquos", de acordo com um comunicado.

"Nós não buscamos uma mudança de regime, nós não buscamos um colapso do regime, nós não buscamos uma reunificação acelerada da península, nós não buscamos uma desculpa para enviar nossas forças militares ao norte do Paralelo 38", disse Tillerson. O'Shaughnessy, a #Coreia do Norte é uma urgente ameaça para a regional estabilidade e ainda continua, se essas forças forem convocadas (do Pacifico), estarão, certamente, prontas para responder em uma máxima força.

Na sexta-feira, a Coreia do Norte lançou com êxito o segundo míssil balístico intercontinental da sua história.

Evangelina Rosa alerta para importância do aleitamento materno
A Tabela de Classificação Mundial foi publicada no início da Semana Mundial do Aleitamento Materno . As palestras serão realizadas em seis unidades e contemplarão cerca de 150 gestantes, no total.

Vieira "goza com todos os adeptos de futebol" — FC Porto
Sei que o Benfica tem sócios organizados, mas isso de claques não sei do que estão a falar. Se não fosse grave, a mentira de Vieira dava para rir.

Dois mortos e quatro feridos em tiroteio em discoteca
Um homem de 34 anos abriu fogo na discoteca, provocando a morte de uma pessoa e ferindo três com gravidade. Nesse incidente também morreu uma pessoa e várias ficaram feridas, incluindo o atacante.

Haley informou que os Estados Unidos não pretendem convocar uma sessão de emergência do Conselho de Segurança da ONU para esta segunda-feira, como tem acontecido nas Nações Unidas após os mais recentes testes com armas de Pyongyang. Donald Trump afirmou que os EUA "não vão permitir mais que isto continue. A China podia facilmente resolver o problema", acrescentou. No entanto, salientou que a China tem "uma relação especial e única [com Pyongyang], devido à significativa actividade económica" e, por isso, também tem uma capacidade de "influenciar o regime norte-coreano que mais ninguém tem".

Jieyi afirmou que se Washington e Pyongyang rejeitarem reduzir as tensões e o diálogo, "não interessa o quão capaz a China é, os esforços chineses não vão produzir resultados práticos, porque depende dos dois lados principais".

O influente senador Lindsey Graham, falcão em matéria de política externa, afirmou à rede NBC: "há uma opção militar: destruir o programa de Coreia do Norte e a própria Coreia do Norte". "Os irresponsáveis dos nossos líderes passados permitiram-lhes lucrar milhares de milhões de dólares por ano com o comércio e, no entanto, não fazem NADA para nosso bem com a Coreia do Norte". Ela disse que a China deve decidir "se quer finalmente dar um passo essencial". "Foi isso que ele [Trump] me disse".

Related news