Juiz é condenado por apropriação de seus bens — Eike Batista

Juiz é condenado por apropriação de seus bens — Eike Batista

Juiz é condenado por apropriação de seus bens — Eike Batista

Flavio Roberto de Souza atuava na 3.ª Vara Federal Criminal, no Rio, no julgamento de crimes financeiros atribuídos a Eike.

Flavio Roberto de Souza, juiz federal aposentado, responsável por julgar processos contra Eike Batista, de acordo com o site 'GloboNews', foi condenado por apropriação de bens do empresário.

Bretas condenou Souza nesta segunda-feira, 7, às penas de 7 anos pelo crime de peculato e 1 ano por crime de fraude processual. Em 2015, ele foi flagrado dirigindo um Porshe Cayenne, do empresário Eike Batista, que havia sido apreendido pela Justiça.

Em março de 2015, o Órgão Especial do Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro (TRF2), por unanimidade, decidiram pelo afastamento das funções do cargo do juiz, também decidiram averiguar os indícios de irregularidades na atuação do magistrado. O réu pode recorrer em liberdade. "Pior do que isso, revelou-se um hipócrita", assinalou Bretas na sentença.

Anna Faris e Chris Pratt anunciam divórcio
O casal, que tem um filho de quatro anos juntos, divulgou comunicado nas redes sociais falando sobre a decisão de se separarem. Nosso filho tem dois pais que o amam muito e em seu respeito queremos manter essa situação o mais privada possível.

Conselho de Segurança da ONU impõe novas sanções à Coreia do Norte
Moscou mantém diferenças com os países do Ocidente sobre a análise técnica dos últimos testes norte-coreanos. Desde então, Pyongyang testou vários mísseis de transporte de ogivas.

Neymar y su sentida carta al Barcelona: "Necesito desafíos"
El mercado cerrará el 30 de agosto y el Barcelona no quiere cometer los errores del pasado con malos fichajes. En la Champions pasada sostuvo al equipo y fue uno de los que más trabajó para que llegaran a semifinales.

Em cumprimento à decisão, foram recolhidos pela Polícia Federal um total de 38 itens.

A família e o advogado de Eike afirmaram que Souza estava fazendo uso pessoal do automóvel que custa em torno de R$ 600 mil. O juiz alegou que levou dois carros para serem guardados no seu prédio porque no pátio da Justiça Federal não havia vaga coberta para todos até o dia em que serão leiloados.

"Posteriormente, com procedimento de correição extraordinária em andamento, tentou devolver uma parte da quantia a fim de induzir a erro os servidores responsáveis pela investigação", narrou Bretas.

O juiz Marcelo Brêtas também definiu a perda da aposentadoria e do cargo de juiz federal, além de fazer pagá-lo uma de R$ 25 mil como reparação de danos. "Além disso, o réu sofria de transtornos mentais à época, o que abalou sobremaneira seu juízo crítico".

Related news