Governo deve rever meta fiscal de 2017 e 2018 — Não há escapatória

Governo deve rever meta fiscal de 2017 e 2018 — Não há escapatória

Governo deve rever meta fiscal de 2017 e 2018 — Não há escapatória

É que a versão original da MP foi desfigurada pelo relator, Newton Cardoso (PMDB-MG), que aliviou drasticamente a situação dos devedores, o que reduz em muito a arrecadação prevista pela equipe econômica, que é de R$ 13,3 bilhões este ano. Para 2017, a proposta de Meirelles é elevar dos atuais R$ 139 bilhões de déficit, previstos na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), para R$ 159 bilhões.

Temer se reúne com os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles; do Planejamento, Dyogo Oliveira; e da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, responsável pela articulação política do governo.

Matéria atualizada às 14h55 de 08/08/2017 para acréscimo de informações.

Segundo interlocutores da área econômica, a mudança deverá ser anunciada ainda nesta quinta-feira (10), após o encontro. Geralmente, os encontros nos finais de semana ocorrem no Palácio do Jaburu, mas neste sábado está ocorrendo no Planalto.

Ex-craque do Barcelona na mira da Justiça
E um chama atenção: o do zagueiro Rafa Márquez , que defendeu o Barcelona entre 2003 e 2010 e atualmente joga no Atlas-MEX. Bens do atleta sob jurisdição ou controle dos EUA serão congelados, e ele não poderá se relacionar com empresas americanas.

Temer: Imposto de Renda pode sofrer aumento
O comunicado foi divulgado depois de o presidente Michel Temer ter admitido nesta manhã a existência de estudos neste sentido. Como os estudos ainda estão sendo feitos, não se sabe qual será o aumento da alíquota máxima que está sendo pensado.

Raúl Alarcón vence na Senhora da Graça
Foi um despique tremendo com o italiano António Parrinelo (GM Europa) e o francês Stephane Poulhies (Armee de Terre). Como tem sido habitual, a chegada a Castelo Branco tem sido disputada ao sprint e hoje não foi diferente.

Além disso, o salário inicial de novos servidores ficará restrito a R$ 5.000 e haverá corte de benefícios como auxílio-moradia e ajuda de custo em casos de remoção.

A expectativa era que o anúncio ocorresse nesta tarde e, apesar de ter sido adiado, segundo fontes, já está definido que o governo anunciará novas e maiores metas de déficit primário, que passarão a 159 bilhões de reais tanto para 2017 quanto para 2018, mesma cifra obtida em 2016, buscando sinalizar que pelo menos a trajetória das contas públicas não vai piorar.

Diante da contenção de gastos, os serviços públicos estão sendo afetados.

O comunicado não especifica a meta de qual ano - 2017 ou 2018, ou ainda ambos - que será debatida.

Related news