Escritora Clara Averbuck denuncia estupro cometido por motorista da Uber

Escritora Clara Averbuck denuncia estupro cometido por motorista da Uber

Escritora Clara Averbuck denuncia estupro cometido por motorista da Uber

A escritora brasileira Clara Averbuck fez uma publicação esta segunda-feira no Facebook onde alega que foi violada por um motorista da Uber na noite de domingo. A informação é da revista Exame.

Estou machucada, mas estou em casa e medicada para me acalmar.

Averbuck conta que ainda não decidiu se fará a denúncia formal por não querer se submeter a violência que é ir na Delegacia da Mulher.

Logo no início do vídeo, ela afirma: "Fiz um relato de uma agressão que eu sofri e isso viralizou de uma forma que eu não estava esperando".

A empresa Uber, por sua vez, informou que baniu o motorista denunciado pela escritora.

Bomfim afirma ainda que uma forma de diminuir esses números pode ser feita por meio de avaliação para as mulheres sobre a temática de gênero, campanhas permanentes de conscientização de passageiros e motoristas, além da possibilidade de pedir uma motorista mulher.

Após ataque hacker, fãs se organizam para recuperar canal de Pabllo Vittar
Quem buscar pelo nome da drag queen se deparará com uma foto do político sem camisa no perfil de Pabllo. "O que aconteceu no seu canal????", comentou uma seguidora.

The Game Revealed, sobre Game of Thrones tem Episódio 1 gratuito
Ainda assim, a temporada final só deverá ser transmitida no ano de 2019 e não já em 2018, como seria expectável. E pela terceira vez os integrantes do Mastodon participaram da série " Game Of Thrones ".

Manifestação contra o terrorismo reúne meio milhão de pessoas em Barcelona
A notícia avançada pelo El País e pelo El Mundo detalhou que a mulher estava em estado crítico no Hospital do Mar em Barcelona. A facção terrorista Estado Islâmico assumiu a autoria em um comunicado divulgado na agência de notícias da milícia.

"Violência sexual é crime que quem tem que provar é a vítima". "Estou com o olho roxo e a culpa de ter bebido e me colocado em posição vulnerável não me larga".

"A Uber repudia qualquer tipo de violência contra mulheres". A culpa não é minha.

"Acreditamos que é importante coibir, combater e denunciar casos de assédio e violência contra a mulher", dizia a nota.

Apesar de não ter decidido se pretende ou não realizar o boletim de ocorrência sobre o assunto, Clara resolveu compartilhar sua experiência para que todas as mulheres tenham ciência de que estão suscetíveis ao risco de serem violentadas. "A dor, a raiva e a impotência também não me largam". Estou falando tudo isso para que todas as que me lêem saibam que pode acontecer com qualquer uma, a qualquer momento, e que o desamparo e o desespero são inevitáveis.

Ao que parece, Clara tem razão: "O mundo é um lugar horrível pra ser mulher".

No fim, a escritora gaúcha disse que ninguém irá derrubá-la.

Related news