Rússia diz ter matado líder do grupo extremista Estado Islâmico

Rússia diz ter matado líder do grupo extremista Estado Islâmico

Rússia diz ter matado líder do grupo extremista Estado Islâmico

O ministério da defesa da Rússia disse estar verificando relatos de que o líder da organização terrorista Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, teria sido morto em um ataque aéreo ao sul da cidade síria de Raqqa, no final de maio.

O bombardeamento, que tinha como alvo uma reunião de líderes do grupo terrorista, aconteceu no dia 28 de maio, indicou o Ministério.

A informação avançada pelo ministro à agência russa Tass, não foi confirmada pela coligação liderada pelos Estados Unidos, que combate o Estado Islâmico. "Morreram 300 militantes que seriam os guarda-costas dos comandantes", revela a agência Tass. Agora, a Rússia descobriu que Abu Bakr al-Baghdadi também estaria presente no encontro e, portanto, poderá ter sido uma das vítimas mortais do ataque.

Atividade econômica cresce 0,28% em abril
Os resultados do IBC-Br, porém, nem sempre mostraram proximidade com os dados oficiais do PIB , divulgados pelo IBGE . Tecnicamente, o resultado do primeiro trimestre significa que o país teria saído da recessão econômica.

Real Madrid e Monaco em negociações por Mbappé
A imprensa francesa avança também que Mbappé poderá rumar ao Santiago Bernabéu mediante o pagamento de 135 milhões de euros. Tenho contrato com o Mónaco . "Veremos o que acontece", finalizou o jovem atacante de 18 anos.

Graciele é pedida em casamento por Zezé no Dia dos Namorados
Zilu, porém, não revelou o nome de seu amor platônico. "Ele é uma pessoa que, desde que surgiu, me chamou muita atenção". Hoje não tem dieta, não! "Sou da época da minha mãe, eu quero ser conquistada", sublinhou.

A aviação russa bombardeou os jihadistas na madrugada do dia 28 do mês passado, depois que seus drones confirmaram o local e hora da reunião dos chefes do EI.

A coalizão organizada pelos EUA, contudo, disse que não poderia confirmar o comunicado russo sobre a morte de Baghdadi. Ryan Dillon. Disse não poder confirmar as notícias da morte do líder extremista.

Os EUA também enviaram tropas de suas forças especiais para a Síria, com o objetivo de respaldar as operações terrestres da FSD. Sob seu comando, o EI expandiu seu território, fundou um califado e realizou dezenas de atentados terroristas no Oriente Médio, na Europa e na Ásia. Afirmou que não dispõe de informações sobre a suposta morte de Baghdadi. Em março de 2015 houve notícias de que teria ficado gravemente ferido após um ataque norte-americano, mas as informações insistentes nesse sentido não foram confirmadas.

Related news