Projeções dão maioria absoluta a partido de Macron

Projeções dão maioria absoluta a partido de Macron

Projeções dão maioria absoluta a partido de Macron

O partido do Presidente francês, Emmanuel Macron, terá obtido hoje a maioria absoluta, entre 355 e 425 assentos, num total de 577, segundo as sondagens à boca da urna.

O grande vencedor da segunda volta das legislativas foi novamente a abstenção, com mais de 56% - tal como já tinha acontecido, aliás, na primeira volta há uma semana atrás.

O sistema eleitoral francês, com círculos uninominais a duas voltas, voltou a provar ser um eficaz seguro de vida para as forças políticas que vêm controlando a V República francesa desde a sua formação - apesar das recomposições internas, como é o caso recente da formação do REM, com a cooptação de membros dos Republicanos e dos Socialistas.

O presidente da França, Emmanuel Macron, votou neste domingo pouco depois das 9 horas (4 horas em Brasília), antes do acostumado por ele, já que tinha de presidir uma cerimônia militar por volta das 11 horas.

Incêndio na região central de Portugal deixa pelo menos 19 mortos
Segundo Jorge Gomes, o fogo continua esta manhã com quatro frentes ativas, duas delas muito intensas, na Graça e em Vila Praia. Os "ventos descontrolados" transformaram um fogo de pequenas dimensões em "um incêndio impossível de controlar".

Polícia prende homem armado com uma faca diante do Parlamento britânico
A polícia londrina deteve um homem nas imediações do Parlamento britânico, esta sexta-feira, por suspeita de ter uma faca. Até ao momento, não são conhecidas as motivações do suspeito.

Vocalista de banda de forró morre em acidente
Eliza Clívia , ex-vocalista da banda Cavaleiros do Forró faleceu na tarde de sexta-feira (16) após sofre um acidente de carro. Ela estava em um veículo de passeio que foi atingindo por um ônibus em um cruzamento da cidade de Aracaju , Sergipe.

Com uma maioria absoluta na Assembleia Nacional, o Presidente mais jovem da História da França, com 39 anos, tem o caminho livre para aplicar as suas ambiciosas reformas com as quais aspira tornar o mercado de trabalho mais liberal. A boa notícia para Macron é que todos os membros do Governo que se apresentavam a sufrágio terão sido eleitos (se assim não fosse a regra estabelecida implicaria que tivessem de se demitir). O partido de seu antecessor, o socialista François Hollande, que controlava até agora a Assembleia com cerca de 300 deputados, teria apenas de 15 a 40 cadeiras. Assim, a filha de Jean-Marie Le Pen deverá conseguir ser eleita como deputada da Assembleia Nacional pela primeira vez. Le Pen foi eleita pelo seu círculo, Hénin-Beaumont, no norte de França.

O chefe do Partido Socialista (PS), Jean-Christophe Cambadélis, foi um dos primeiros dirigentes de partido a se exprimir.

O Ministério do Interior disse nesta noite que, com 513 lugares já definidos na Assembleia Nacional, de 577 lugares, o partido de Macron e seus aliados já possuem 303 cadeiras. "A esquerda deve mudar tudo, por dentro e por fora, em termos de ideias e de organização, e eu assumo minha parte de responsabilidade", completou, antes de anunciar que pretende deixar a direção da legenda. "Mas o seu triunfo esconde um lado artificial porque a sua imponente maioria não reflete a realidade social do país", afirmou.

"Tomo esta decisão sem amargura ou raiva, consciente do meu dever e do momento crucial que a esquerda atravessa", disse. Tem todo o poder.

Related news