Pelo menos 30 pessoas morreram no incêndio do prédio em Londres

Pelo menos 30 pessoas morreram no incêndio do prédio em Londres

Pelo menos 30 pessoas morreram no incêndio do prédio em Londres

As autoridades britânicas informaram, nesta quinta-feira, que subiu para 17 o número de mortos no incêndio ocorrido um dia antes em um prédio residencial em Londres.

Caso a cifra seja confirmada, este seria o incêndio com maior número de mortos em Londres desde a Segunda Guerra Mundial.

O mesmo responsável da polícia londrina admitiu que possam ter estado mais pessoas na torre Grenfell do que aquelas que a polícia estava inicialmente ciente, o que pode fazer aumentar ainda mais o número de mortos.

Os serviços de socorro entraram esta sexta-feira no terceiro dia de buscas no edifício de 24 andares, com 120 apartamentos e entre 400 a 600 moradores, que foi consumido pelas chamas na madrugada de quarta-feira.

A primeira vítima foi identificada como o refugiado sírio Mohmmed Alhajali, de 23 anos, que estudava engenharia civil e que estava no 14.º andar quando se declarou o incêndio.

Helmut Kohl, pai da reunificação alemã, morre, diz jornal
Fundamental nesse processo foi a visita de Erich Honecker, líder da RDA, à Alemanha Ocidental, em 1987. A queda do Muro de Berlim e a Reunificação são os pontos altos de sua carreira política.

Atirador abre fogo contra congressistas republicanos em treino de basebol
O deputado do Texas Joe Barton afirmou que o tiroteio durou entre cinco e dez minutos, e dezenas de tiros foram disparados. O senador Mike Lee disse que um funcionário do local usou um cinto como torniquete para conter o sangramento de Scalise .

De volta ao Brasil, Joesley depõe sobre repasses a Lula e Dilma
O juiz da operação, Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, autorizou que Joesley fosse avisado com antecedência. Na colaboração, Joesley acusou Temer de receber propina da JBS.

De acordo com o jornal "The Guardian", já havia preocupação a respeito de um incêndio no prédio em 2012, quando um vistoria constatou que o equipamento contra incêndios não era revisado havia anos. "Ao menos 30 pessoas morreram", afirmou o comandante da polícia, Stuart Cundy. Quanto aos feridos, Cundy confirmou que "37 pessoas ainda estão recebendo tratamento, das quais 17 estão em estado crítico". Nesta manhã, a primeira-ministra britânica, Theresa May, e a cantora Adele visitaram nesta quinta a Grenfell Tower, que fica a 2,7 km da residência do príncipe Willian e da sua mulher, Kate Middleton.

O edifício, construído em 1974, em North Kensigton, passou por uma reforma em 2016. Os bombeiros já não acreditam ser possível encontrar sobreviventes. May foi ao Chelsea and Westminster Hospital, onde são tratadas oito vítimas, três delas em estado grave.

"Vi pessoas a saltar do prédio e um homem a atirar duas crianças", contou à BBC Mahad Egal, residente do quatro andar, entre lágrimas. Essa investigação também examinará a responsabilidade das autoridades e dos administradores responsáveis pela manutenção do prédio, e, segundo May, servirá para assegurar que "esta terrível tragédia seja investigada apropriadamente".

Após o início do incêndio, por volta das 0h15 no horário local (21h15, em Brasília), pelo menos 20 ambulâncias foram enviadas às imediações do bloco, que foi isolado pelos agentes.

Related news