Helmut Kohl, pai da reunificação alemã, morre, diz jornal

Helmut Kohl, pai da reunificação alemã, morre, diz jornal

Helmut Kohl, pai da reunificação alemã, morre, diz jornal

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, está "muito abalado" com a morte de Helmut Kohl, a quem considerava "um amigo pessoal", declarou na sexta-feira seu porta-voz, Stéphane Dujarric.

Kohl, que detém o recorde de longevidade como chanceler alemão no pós-guerra com quatro mandatos consecutivos, deixou a vida política em 2002.

"Estamos de luto. Descanse em paz", escreveu o CDU na rede social Twitter. Indicado por seu partido como candidato a chanceler, em 1976, foi derrotado pela coalizão de centro esquerda, de Helmut Schmidt.

"Kohl, juntamente com François Mitterrand, gizou o aprofundamento da União Europeia, sendo-lhes frequentemente atribuída a arquitetura do que viria a ser o Tratado de Maastricht".

"Foi confrontando com as questões mais monumentais do seu tempo e, ao responder com justiça, tornou possível a reunificação de uma Alemanha forte e próspera e a criação da União Europeia", acrescentou. Fundamental nesse processo foi a visita de Erich Honecker, líder da RDA, à Alemanha Ocidental, em 1987. A queda do Muro de Berlim e a Reunificação são os pontos altos de sua carreira política. Uma das grandes vitórias foi a negociação com o líder da União Soviética, Mikhail Gorbachev: Kohl conseguiu persuadi-lo a desistir da Alemanha Oriental como reduto comunista e as tropas soviéticas acabaram por ser retiradas do país.

Segundo o jornal, morreu "tranquilamente" acompanhado por sua segunda esposa, Maike Kohl-Richter.

7 marinheiros estão desaparecidos após destróier dos EUA se chocar com cargueiro
O destróier segue funcionando com seu próprio motor, "mas sua propulsão é limitada". Já o cargueiro apresentou danos leves, segundo imagens da tv japonesa.

Em depoimento, Joesley confirma delação contra Temer e Loures
O Supremo Tribunal Federal deu prazo até segunda-feira (19), para a Polícia Federal concluir a investigação. Rocha Loures é o homem de confiança de Temer e recebeu por ele uma mala da JBS com R$ 500 mil em dinheiro.

Temer lamenta, em nota oficial, morte de Jorge Bastos Moreno
O governador e o secretário destacam que o brilhante trabalho do jornalista na cobertura política fará muita falta ao país. Ele apresentava o talk show 'Preto no Branco' no Canal Brasil e um programa semanal na rádio CBN. " Pausa no silêncio.

- Kohl foi uma sorte para nós alemães - ressaltou Merkel em Roma.

Donald Trump ofereceu as condolências em nome do povo americano aos alemães pela perda de uma figura tão relevante na história da reunificação do país.

"O Partido Socialista lamenta a morte de Helmut Kohl, ex-chanceler alemão e visionário do projeto europeu".

Ele governou a Alemanha ao longo de 16 anos, mais do que qualquer outro chanceler federal. "Era verdadeiramente uma pessoa de uma persistência indomável".

"(Kohl) não foi apenas o pai da reunificação alemã, mas também foi um promotor da Europa e da relação transatlântica.

O antigo Presidente dos EUA, Bill Clinton, descreveu numa ocasião Kohl como "o mais importante estadista europeu desde a II Guerra Mundial". Um dos maiores líderes políticos do século XX morreu nesta sexta, em sua casa, no Sul de um país que é o que é hoje muito por causa dele. A França abria mão da disputa pela hegemonia europeia, em favor de seu grande aliado e ex-inimigo histórico, desde a guerra franco-prussiana de 1871.

Related news