Cármen Lúcia: "não há o que questionar quanto à palavra do presidente"

Cármen Lúcia:

Cármen Lúcia: "não há o que questionar quanto à palavra do presidente"

A revista Veja noticiou que a PGR queria me envolver no caso [do senador] Aécio [Neves]. A ação teria como objetivo buscar fragilidades que poderiam colocar em xeque a atuação do ministro.

Cármen Lúcia disse que, se confirmada, a investigação seria própria das ditaduras.

Também neste sábado, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se manifestou com veemência sobre "suposta utilização do aparato estatal para desmerecer um membro da mais alta Corte do país".

Entidades de juízes também se posicionaram. Segundo o presidente, desde que chegou ao governo, ele tem "insistido que observemos os princípios fundamentais de independência e harmonia impostos pela constituição federal". "Em vez de fortalecer a democracia com iniciativas condizentes com os anseios dos brasileiros, adotam-se práticas de um Estado de exceção", disse Janot.

No fim desse jantar, diz a revista, Fachin e Saud seguiram para o aeroporto de Brasilia, onde o indicado ao STF embarcou no jato de Joesley para Curitiba.

A nova declaração da ministra diz que Temer negou ter acionado a Abin contra Fachin e que "não há o que questionar quanto à palavra do presidente".

Autocarro que ardeu no túnel do Marão transportava 20 pessoas, nenhuma ferida
Os condutores e passageiros de outros veículos que na altura circulavam no túnel também saíram da mesma forma e em segurança. Cinco viaturas e 13 bombeiros da corporação de Amarante foram enviados para o local, adiantou a fonte dos bombeiros.

Morre 3ª vítima de explosão em sonda da Petrobras
De acordo com a Petrobras, não houve incêndio depois da explosão e não há riscos de vazamento ou impacto na produção do campo. Na noite de ontem, morreu outra vítima do acidente, Ericson Nascimento de Freitas, de 29 anos.

Novas cenas do filme Homem-Aranha: Regresso a Casa
Finalmente foi revelado o nome da personagem da cantora Zendaya em Homem-aranha: De Volta Ao Lar. "Tão macio.", escreveu Holland , dando continuidade à brincadeira.

"Tenho certeza de que isso não aconteceu. Confio na Abin, nos profissionais da Abin e eles têm dado reiteradas mostras de seu profissionalismo", afirmou Etchegoyen ao Estado.

Em nota, o Palácio do Planalto negou que Temer tenha ordenado ações de inteligência contra Fachin. "O governo não usa a máquina pública contra os cidadãos brasileiros, muito menos fará qualquer tipo de ação que não respeite aos estritos ditames da lei", disse a Presidência.

A reportagem provocou reações da presidente do Supremo, Cármen Lúcia, e do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes. "Eu não me prestaria a isso".

Fachin tem recebido ataques que parte do Planalto e do Congresso, desde que homologou as delações premiadas da JBS e autorizou a investigação contra Temer. Deputados da base do governo apresentaram requerimento à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) pedindo que sejam solicitadas informações ao ministro sobre a relação dele com o Ricardo Saud, executivo da JBS e um dos delatores do Grupo J&F. A escuta teria sido feita a pedido do presidente, segundo a publicação.

Por outro lado, o deputado federal Alessandro Molon (Rede-RJ), opositor ao governo, informou na noite do sábado (10) que já começa a articular com parlamentares a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar suposto uso da Abin pelo presidente Michel Temer. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Related news