Vladimir Putin surpreende ao tocar piano, em visita à China

Vladimir Putin surpreende ao tocar piano, em visita à China

Vladimir Putin surpreende ao tocar piano, em visita à China

Focada em países asiáticos, europeus e africanos - embora as autoridades chinesas já tenham clarificado que não pretendem excluir o continente americano -, a iniciativa "Faixa Económica da Rota da Seda e da Rota Marítima da Seda para o Século XXI", conhecida na versão simplificada como "Uma Faixa, uma Rota" ("Belt and Road" na versão inglesa) é um gigante plano de infra-estruturas, que inclui ligações rodoviárias, ferroviárias e portuárias. Por outro lado, aliados como Erdogan e Putin fizeram questão de marcar presença, com o presidente russo, que advertiu para o aumento do proteccionismo, a alargar a operação de charme com um recital de piano na capital chinesa. Embora a iniciativa seja em geral apresentada como tendo braços em 65 nações, da China à Indonésia e à Estônia, Xi reiterou que ela é aberta a todos os países interessados.

Representantes do Brasil, Rússia, Índia e África do Sul - membros dos BRICS - e outras economias emergentes como a Indonésia, o México e a Turquia também estiveram presentes no fórum.

A iniciativa diplomática e econômica da China no evento é conhecida como Um Cinturão, Uma Rota, que prevê a construção de portos, ferrovias, oleodutos e parques industriais, além de reorientar o comércio chinês rumo à Eurásia, ao Sudeste Asiático e à África.

Alguns países mostram dúvidas sobre as intenções chinesas, vendo a iniciativa como uma forma para companhias chinesas penetrarem em mercados estrangeiros e para o país promover sua força geopolítica.

O plano ambicioso da China para reeditar Rota da Seda
Guterres diz que China é apoio para mundo aberto e multilateral

Nos últimos anos, a Iniciativa do Cinturão e Rota tem crescido de uma proposta em estado embrionário a uma rede e um padrão de cooperação de crescimento compartilhado através de discussão e colaboração.

"Devemos instaurar uma nova postura nas relações internacionais, de mútua cooperação e benefícios compartilhados", disse Xi Jinping. "Nós precisamos também construir uma globalização econômica aberta, inclusiva e amplamente benéfica e equilibrada". Ao atualizar aquela mensagem, Xi disse que a China estabelecerá 50 laboratórios conjuntos e oferecerá viagens de pesquisa e treinamento para 5 mil cientistas, engenheiros e gerentes estrangeiros.

Alexis Tsipras assinalou que a Grécia está a gerar oportunidades de investimento nas quais o projeto de infraestruturas que a China lidera pode figurar como um bom complemento.

Xi prometeu US$ 55 bilhões para ampliar o financiamento de bancos estatais para projetos do "Um Cinturão, Uma Rota, além de mais US$ 14,5 bilhões para o estatal Fundo da Rota da Seda, bem como promessas para ampliar os empréstimos comerciais e a ajuda internacional". Os progressos, porém, têm sido modestos nos investimentos de infraestrutura comprometidos pela China.

Edouard Philippe é primeiro-ministro de Macron 16 Maio 2017 — França
A legenda quer recuperar o terreno perdido, elegendo parlamentares o suficiente para poder influenciar o governo Macron. Enquanto o ex-premiê se define como um "homem de esquerda", o indicado de Macron se disse um "homem de direita".

Economia cresce 2,8% e regista o maior avanço em quase dez anos
A justificar estes dados, estão, segundo o INE, um aumento da procura externa, assim como uma recuperação no investimento. Já em termos homólogos, no trimestre anterior o PIB tinha crescido 2%.

Neymar e Ronaldo em noite de sonho e a corrida continua louca
Em Madri, Cristiano Ronaldo marcou dois no triunfo do Real sobre o Sevilla , também por 4 a 1, no Santiago Bernabéu . Sem Marcelo, poupado, e com Benzema, Modric e Casemiro no banco, o Real começou a partida a mil por hora.

Related news